Publicidade

Correio Braziliense

Governo amplia limite do Pronampe na Caixa e no Banco do Brasil

Bancos públicos receberam mais R$ 2,3 bilhões para emprestar para os pequenos negócios


postado em 10/07/2020 10:56 / atualizado em 10/07/2020 11:42

(foto: Divulgação/Agência de Notícias do Acre)
(foto: Divulgação/Agência de Notícias do Acre)
O governo federal ampliou os limites do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) no Banco do Brasil (BB) e na Caixa Econômica Federal (CEF). Ao todo, foram liberados mais R$ 2,3 bilhões para os bancos emprestarem para os pequenos negócios.

A suplementação orçamentária do Pronampe foi confirmada nesta sexta-feira (10/07), porque tanto o BB, quanto a Caixa já esgotaram o limite de recursos que haviam recebido para essa linha de crédito. Os bancos públicos têm sido procurados por milhares de micro e pequenas empresas diariamente porque ainda são praticamente os únicos a operar o Pronampe.

Por conta disso, em apenas oito dias o Banco do Brasil emprestou todos os R$ 3,7 bilhões que tinha disponível para o Pronampe. E agora recebeu mais R$ 1,24 bilhão de limite. "Nesta quinta-feira (9), no início da noite, as primeiras contratações já foram realizadas a partir do suplemento no orçamento", informou o BB.

Já a Caixa tinha recebido R$ 3,18 bilhões para o Pronampe e também bateu essa cota nessa quinta-feira. Por isso, recebeu mais R$ 1,06 bilhão de limite para para essa linha de crédito. E esse dinheiro também já está sendo financiado.

Com isso, o limite de contratações do Pronampe subiu para R$ 4,98 bilhões no BB e para R$ 4,24 bilhões na Caixa. Os bancos devem ser responsáveis, portanto, por quase metade de todos as operações dessa linha de crédito.

O programa oferece R$ 15,9 bilhões de garantias do governo para os empréstimos dos pequenos negócios. Esse recurso vai cobrir até 85% das perdas dos bancos. Por isso, o sistema financeiro acredita que os R$ 15,9 bilhões devem permitir o financiamento de até R$ 18,7 bilhões.

Por conta dessas garantias, o Pronampe oferece condições diferenciadas para os pequenos negócios. Entre elas, oito meses de carência, mais 28 meses de prazo de pagamento e taxa de juros de 3,5% ao ano (Selic + 1,25%).
 
 

Outros bancos


Proposto em abril pelo Congresso para socorrer as micro e pequenas empresas que têm relatado dificuldades no acesso ao crédito durante a pandemia de covid-19, o Pronampe foi regulamentado há um mês pelo governo federal. Porém, está demorando a chegar à prateleira dos grandes bancos privados.

Segundo o governo, mais de 20 instituições financeiras já mostraram interesse em operar o Pronampe. Porém, hoje, só a Caixa, o Banco do Brasil e o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais já oferecem crédito.

O Itaú também já foi habilitado no Pronampe e, segundo a assessoria de imprensa, começou a operar o Pronampe nessa quinta-feira (09/07). O site do Itaú ainda não foi atualizado com esta informação e diz que os meios de contratação do Pronampe serão informados em breve. Mas o banco garante que as contratações têm sido elevadas. "Até 22h de ontem, 2.800 empresas contrataram mais de R$ 410 milhões", informou o Itaú nesta sexta-feira. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade