Economia

Guedes reitera desejo do governo brasileiro de entrar na OCDE

Em cúpula ministerial da OCDE para a América Latina, o ministro da Economia garantiu compromisso com reformas e integração econômica

Marina Barbosa
postado em 13/07/2020 13:41
 (foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
(foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Paulo GuedesO ministro da Economia, Paulo Guedes, reforçou nesta segunda-feira (13/07) o desejo do governo brasileiro de aderir à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Para isso, garantiu o comprometimento com as reformas econômicas e com a integração econômica com o resto do mundo após a pandemia do novo coronavírus.

"Queremos aumentar nosso grau de integração. A economia brasileira ficou fechada por muitos anos. Então, vamos continuar comprometidos com as reformas estruturantes e com a maior integração, particularmente com a maior integração regional. [...] Queremos entrar na OCDE ", disse Guedes, durante uma cúpula ministerial promovida pela OCDE para a América Latina e para o Caribe nesta segunda-feira.

Guedes falou sobre o assunto após o secretário-geral da OCDE, Ángel Gurría, dizer que a saída da crise causada pela pandemia do novo coronavírus vai exigir colaboração e coordenação dos países latino-americanos. E também garantiu que o Brasil está comprometido com outras preocupações expostas pela OCDE, como a maior proteção social dos informais e dos desempregados no pós-pandemia e também com a preservação ambiental.

O ministro da Economia reconheceu, por outro lado, que a pouca integração regional acabou reduzindo um dos efeitos econômicos da pandemia da covid-19 no Brasil. Ele disse que, por estar pouco integrado às cadeias globais de valor, o Brasil sentiu menos o baque do comércio externo. "Como a economia brasileira ficou fechada nos últimos anos, a ruptura das cadeias globais não atingiu tanto o Brasil. As exportações estão praticamente no mesmo nível do ano passado, porque a queda das exportações para parceiros como Argentina e Estados Unidos foram compensadas por maiores exportações para a Ásia, particularmente para a China", contou.

[SAIBAMAIS]Ele disse, contudo, que essa situação só "continua nos estimulando a entrar para a OCDE para aumentar nosso grau de integração". E pediu colaboração da OCDE na criação de melhores padrões de controle e preservação da Amazônia, que tem sido uma preocupação mundial. Ángel Gurría, porém, não voltou a falar na cúpula da OCDE após o discurso de Guedes. Por isso, não comentou publicamente o apelo brasileiro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação