Economia

Mercado s/a

postado em 20/07/2020 04:17

Empresas preparam volta aos escritórios
A estabilização dos contágios pela covid-19 encorajou grandes empresas a preparar o retorno dos funcionários aos escritórios. Na Nestlé, a volta começará no dia 27 de julho, em esquema de revezamento. Na Ambev, ela foi dividida em três fases, mas, por enquanto, apenas 20% da força de trabalho da sede em São Paulo está autorizada a dar expediente presencial. Além disso, reuniões continuam vetadas. Gigantes como Unilever e EMS devem convocar colaboradores a partir de agosto. Os brasileiros estão satisfeitos com o home office. Segundo pesquisa realizada pela consultoria LogMeIn com trabalhadores de diversos países, os profissionais do Brasil são os que mais desejam manter o trabalho remoto de forma definitiva, com 83% de aprovação do sistema. O estudo também mostrou que 50% deles topariam reduzir o salário para permanecer em home office. Apesar disso, nem todas as empresas estão dispostas a aderir ao modelo para sempre. É difícil mudar práticas enraizadas nas corporações.

Banco Asiático pode trazer US$ 1 bi para o Brasil
A aprovação pela Câmara dos Deputados da participação do Brasil como membro do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB) pode atrair recursos para o combate ao coronavírus. ;Com a chancela da Câmara, os bancos e agências de fomento brasileiros poderiam captar até US$ 1 bilhão;, diz Sergio Gusmão Suchodolski, presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Segundo o executivo, o AIIB tem um programa de crédito de US$ 15 bilhões para investimentos internacionais.

Cargill investe no sistema de franquias
O agronegócio está atento às oportunidades geradas pelo sistema de franquias. Uma das maiores empresas do mundo no setor de alimentos, a americana Cargill passará a atender a pecuaristas por meio dessa modalidade. Segundo a empresa, os franqueados vão trabalhar de formar independente com os produtos da marca Nutron, adotando o mesmo modelo de venda direta da Natura. A iniciativa foi desenvolvida pela divisão de nutrição animal da Cargill e a expectativa é de chegar a 300 franqueados até 2025.

Tinder fatura mesmo com isolamento social
Com o isolamento social em diversos países, era de se esperar que o Tinder, principal aplicativo de relacionamentos, enfrentasse dificuldades. Errado. Segundo relatório da empresa de pesquisas Sensor Tower, o Tinder foi o terceiro app mais lucrativo do mundo em junho, atrás, apenas, do TikTok e YouTube. Uma das explicações para o ótimo desempenho é a liberação de funcionalidades premium durante a pandemia, como a que permite encontrar usuários de qualquer parte do mundo.

; A estratégia da Apple de estimular que seus clientes troquem smartphones usados por novos deverá ser rentável. Estima-se que existam 900 milhões de iPhones em circulação no mundo. Juntos, eles têm valor de troca (chamado no mercado de trade-in) de US$ 150 bilhões. Cerca de 50% dos donos de iPhones substituem o aparelho desse jeito.


; As videoconferências ganharam espaço na rotina das empresas durante o isolamento social, mas elas geram efeitos colaterais indesejados. Um estudo recente publicado nos Estados Unidos mostrou que, no home office, os executivos trabalham 15% mais. Em média, profissionais de cargos de chefia participam de cinco videoconferências por dia.


; A Ambev é a única empresa brasileira a integrar uma lista feita pela ONU que destaca iniciativas globais de combate ao coronavírus. A cervejaria doou 1,2 milhão de frascos de álcool em gel para hospitais públicos, 3 milhões de máscaras para profissionais de saúde e 700 mil garrafas
de água potável a
comunidades carentes.
; O Mercado Livre lançou a quarta edição da Ecofriday, campanha que promove produtos com impactos socioambientais positivos em cinco países da América Latina (Brasil, Chile, Colômbia, México e Uruguai). A iniciativa, válida até 24 de julho, reúne 9 mil itens como painéis solares, bicicletas, alimentos orgânicos e produtos da Amazônia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação