Economia

Empresários sugerem exigências de regras sustentáveis em linhas de crédito

Em reunião com presidente da Câmara, Rodrigo Maia, movimento contra desmatamento ilegal na Amazônia defendem medidas de economia circular e de baixo carbono para empréstimos

Simone Kafruni
postado em 28/07/2020 14:39

Rodrigo MaiaO grupo de empresários que se reuniu nesta terça-feira (28/7) com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) sugeriu que exigências relacionadas à sustentabilidade, como economia verde, circular e de baixo carbono sejam inseridas na discussão das novas linhas de crédito que porventura venham a ser aprovadas o Congresso Nacional. A ideia foi defendida por Marcello Brito, presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). ;Temos que aproveitar o momento de sair da crise da pandemia para inserir uma economia mais inclusiva;, disse, após o encontro com Maia.

Segundo ele, o governo tem um arcabouço de ferramentas de controle muito bom, que precisam ser organizadas para levarem transparência às cadeias produtivas, de forma benéfica para a venda dos seus produtos. ;Nós temos tanta coisa boa que não temos medo dessa transparência. Claro que há problemas dentro da cadeia, mas a economia brasileira acordou para o tema. O movimento empresarial é prova disso;, sustentou.

Brito explicou que o movimento quer colocar junto no mesmo debate os empresários e todos os setores governamentais. ;Vamos falar com os governos estaduais, além da PGR (Procuradoria-Geral da República), STF (Supremo Tribunal Federal) e Senado, para chamar a atenção que temos graves pontos a serem resolvidos. O setor privado se coloca à disposição para contribuir;, destacou, após participar do encontro com Maia.

O presidente da Abag disse que não foram levadas propostas novas na reunião. ;Pedimos atenção ao projeto de licenciamento ambiental, falamos da regularização fundiária e da reforma tributária, que vai ter importância tremenda para que se tenha um diferencial. Ou seja, especificamente sobre projetos que já estão em andamento. A pauta já está lotada para que traga algo novo, o que já está lá dentro satisfaz;, disse.

Avanços

Carlo Pereira, presidente da Rede Brasil do Pacto Global, presente na reunião, disse ter saído bastante satisfeito do encontro. ;O posicionamento do presidente da Câmara é muito favorável a essas questões. Está na hora da sociedade brasileira escolher de que lado da história fica. Globalmente, os mercados, puxados por investidores, mostram que precisamos avançar na agenda de desenvolvimento sustentável;, explicou. ;Estamos muito à frente de países em desenvolvimento na agenda da sustentabilidade, mas precisamos de uma ação propositiva para mostrar aos investidores que queremos avançar;, acrescentou.

Segundo ele, é possível transformar isso em vantagem competitiva. ;Os produtos brasileiros têm condições de serem colocados em todo o mundo como produtos de alto grau de sustentabilidade. Já são e precisam avançar, encontramos ressonância e essa agenda vai avançar bastante;, completou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação