Economia

Inclusão de mais 800 mil no auxílio emergencial deve aquecer economia

Segundo informações da Caixa, até o dia 28 deste mês haviam sido creditados R$ 136,3 bilhões a 65,3 milhões de pessoas

Renata Rios
postado em 29/07/2020 06:00
Fila para atendimento na Caixa: desafio é como manter auxílio após o estado de calamidade públicaMais 800 mil pessoas foram consideradas aptas para receber o auxílio emergencial, segundo novo levantamento do Dataprev. O instituto encaminhou à Caixa Econômica Federal a lista dos benefiários. Até o momento, mais de 66 milhões de brasileiros têm direito a receber o benefício. Neste último pacote, foram avalidas 1.842.434 solicitações, referentes ao período entre 23 de abril e 19 de julho. Atualmente, 903.719 pessoas estão com o cadastro inconclusivo nos sistemas do governo, mas ainda podem complementar as informações pelo aplicativo ou portal da Caixa. A Dataprev está em processamento outros 123.007 cadastros.

Segundo informações da Caixa, até o dia 28 deste mês haviam sido creditados R$ 136,3 bilhões a 65,3 milhões de pessoas. O professor de economia da Estácio Brasília, Ricardo Karam, assinala a importância do auxílio emergencial como estímulo à economia. ;É uma forma de movimentar recurso e estimular recurso, aumentar demanda. E, obviamente quando aumenta a demanda, você estimula a oferta. Vai primeiro para a mão do consumidor, mas os empresários e as comerciantes se beneficiam;, explica.

O professor comenta, ainda, a natureza específica desse recurso. ;A vantagem de colocar os recursos nas mãos dos mais carentes é que 100% dos recursos com certeza vão ser consumidos. Não serão guardados ou usados para especulação; serão usados para consumo. E consumo é igual a produção, produção é igual a emprego. Então, o que se tem é uma medida inteligente para reativar a economia;, avalia Karam. ;O auxílio emergencial minimiza o empobrecimento da população em geral. Aquele que recebe o auxílio ajuda o comerciante do seu bairro a passar pela crise também. O benefício evita o colapso econômico, impedindo que o comércio de algumas regiões pare completamente;, concorda o Olyver Tavares, pesquisador social da Estácio Brasília

O Dataprev finalizou o processamento até agora 99,92% das solicitações. O total de pedidos desde que o programa começou foi de 150.489.558. De acordo com as informações divulgadas pelo Dataprev, o auxílio estaria alcançando de forma direta ou indireta mais de 126 milhões de pessoas, número que equivale a quase 60% da população brasileira.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação