Economia

Eletronorte vai implementar o Mais Luz para Amazônia no Amapá

Empresa assina compromisso com Ministério de Minas e Energia para levar energia solar a 300 mil pessoas que vivem em áreas remotas no Norte do país

Simone Kafruni
postado em 05/08/2020 12:43

Empresa assina compromisso com Ministério de Minas e Energia para levar energia solar a 300 mil pessoas que vivem em áreas remotas no Norte do paísA Eletronorte vai levar energia limpa para 300 mil pessoas que moram em áreas remotas do Amapá. O Ministério de Minas e Energia (MME) assinou portaria, nesta quarta-feira (5/8), determinando que a companhia vai atuar como agente executor do programa Mais Luz para a Amazônia naquele estado. O acordo foi assinado pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e pelo presidente da Eletronorte, Roberto Parucker, em cerimônia que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o secretário de Energia Elétrica do MME, Rodrigo Limp, o objetivo da portaria é levar energia limpa e renovável para 300 mil pessoas que vivem áreas remotas, sem acesso à rede pública de energia e distante dos polos de distribuição. ;O programa permitirá o desenvolvimento econômico e social das comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas;, afirmou.

Limp explicou que a primeira fase do programa Mais Luz para a Amazônia consiste na identificação dos consumidores que serão atendidos, o que já está em andamento. ;Depois serão celebrados termos de compromisso com as distribuidoras, o que deve ocorrer ainda em 2020, com contratos específicos para a realização das obras, a fim de entregá-las em 2021.;

A designação da Eletronorte no Amapá, como agente executor para realização das obras de ligação dessas comunidades vai atender o arquipélago de Bailique, com energia renovável e limpa, principalmente da fonte solar. O presidente da companhia, Roberto Parucker, ressaltou que terá o desafio de instalar painéis solares em comunidades isoladas ou levar cabos subaquáticos.

;Nosso compromisso será assumido de forma tranquila e determinada. No Amapá, a Eletronorte é comprometida com o desenvolvimento do Estado e tem projetos de universalização da energia em aldeias. O projeto Mais Luz para Amazônia é fruto de parceria com o MME, que cedeu os equipamentos eletrônicos, 700 placas fotovoltaicas;, disse.

;O desafio que nos orgulha muito pelo reconhecimento e pela oportunidade de reafirmar compromisso com a região onde atuamos há mais de 47 anos. No arquipélago do Bailique, teremos mais uma demonstração da qualidade de vida que a energia leva para as pessoas. A região fica a 160 km da capital Macapá;, assinalou. ;Um programa como esse contribui para redução da emissão dos gases de efeito estufa porque reduz o uso de geradores a diesel ou gasolina que, por enquanto, são a única fonte de energia da região;, acrescentou.

Prestígio

Presente ao evento, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), comemorou a assinatura. ;É um sinal de respeito e de prestígio a mim, porque o Amapá é o estado que represento. Sei do significado disso para o arquipélago do Bailique, que tem mais de 43 comunidades que vivem no conjunto de ilhas,cujo único acesso, por embarcação, dura 12 horas e, se perder a maré, leva 18 horas;, ressaltou.

Conforme o parlamentar, as comunidades vivem em total isolamento da capital, especialmente em relação à energia elétrica. ;São mais de 12 mil habitantes, uma população expressiva que não tem energia de qualidade. Esse modelo de energia renovável e limpa é aguardado há muitos anos;, completou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação