Economia

Guedes dispara contra os americanos: "Vocês desmataram suas florestas"

O ministro da Economia tentou minimizar o risco da extinção da Amazônia, dizendo que os militares brasileiros são gentis, ao contrário do general Custer

Marina Barbosa
postado em 06/08/2020 17:48
O ministro da Economia tentou minimizar o risco da extinção da Amazônia, dizendo que os militares brasileiros são gentis, ao contrário do general CusterO ministro da Economia, Paulo Guedes, perdeu a paciência ao ser questionado sobre a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro em um evento do Aspen Institute nesta quinta-feira (06/08). Ele disparou contra os americanos dizendo que os militares brasileiros entendem "as preocupações de vocês, porque vocês desmataram suas florestas", mas "não são como o general Custer, que matou os índios".

Guedes até tentou manter o debate pacífico quando o assunto da Amazônia veio à tona no evento do Aspen, que discutiu os rumos da política externa americana. Ele disse que o Brasil compreende a preocupação internacional com a preservação da floresta e não precisa desmatar a Amazônia para expandir sua produção agrícola.

Porém, acabou perdendo a paciência com a insistência dos americanos. "Nós entendemos a preocupação de vocês, porque vocês desmataram suas florestas. Vocês querem nos poupar de desmatar a floresta, como vocês desmataram seus países", disparou Guedes, dizendo que "nós sabemos que vocês tiveram guerras civis, tiveram escravidão e mataram seus índios, não miscigenaram".

[SAIBAMAIS]Ele assegurou ainda que "o Brasil não é um caso de extinção de florestas, como a que vocês fizeram". E explicou: "nossos militares são pessoas gentis". Ele disse que o presidente Jair Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, "amam a floresta" porque foram treinados lá. E concluiu que eles são diferentes do "general Custer, que matou os índios".

Guedes pediu, então, que os americanos fossem gentis e amáveis como os brasileiros e compreendessem os ideais dos nossos militares, sobretudo a questão da soberania brasileira sob a Amazônia. "Nós entendemos a preocupação. Mas não misturem isso com a questão da soberania. A Amazônia é nosso território. Os militares estão dizendo ;obrigado pela preocupação, mas essa é nossa terra;", reclamou.

Antes disso, o ministro da Economia também já havia se mostrado incomodado com os questionamentos dos americanos sobre a democracia brasileira e a saída do ex-juiz Sergio Moro do governo. Por isso, acabou tendo a fala cortada após elevar o tom no debate sobre a Amazônia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação