Escolha a Escola
Publicidade

Correio Braziliense

Simulação de eleição na escola pode ser usada para discutir temas relevantes

Com a missão de formar os estudantes para exercer a cidadania, as escolas incentivam o aprendizado sobre um dos direitos fundamentais da democracia: o voto livre e direto


postado em 27/09/2018 16:27 / atualizado em 29/09/2018 00:12

Alexandre ensina ao filho Brendo a importância do voto consciente(foto: Marília Lima/Esp. CB/D.A Press)
Alexandre ensina ao filho Brendo a importância do voto consciente (foto: Marília Lima/Esp. CB/D.A Press)

As eleições de 2018 ocorrem no próximo fim de semana. Com a missão de formar os estudantes para exercer a cidadania, as escolas incentivam o aprendizado sobre um dos direitos fundamentais da democracia: o voto livre e direto.
 
Pouco mais de uma semana antes do primeiro turno, estudantes do Centro de Ensino Logos simularam um pleito em que eles são os eleitores e os candidatos. O aluno do 1º ano do ensino médio Brendo Alexandre, 15 anos, foi eleito com 57% dos votos de estudantes do ensino médio.
 
“Criamos o Partido dos Estudantes do Futuro e pesquisamos bastante para saber quais seriam nossas propostas. Analisamos as vantagens e as desvantagens de o Brasil ser um país emergente. Nossas prioridades foram educação, saúde e segurança”, destaca Brendo.
 
Pai de Brendo, o professor Alexandre Cardoso conta que sempre conversa com o filho sobre política. “Precisamos de pessoas cada vez mais interessadas, e os jovens são fundamentais para a renovação que a gente necessita”, diz.
 
O objetivo do projeto Jovem Eleitor era chegar o mais próximo de uma eleição real. Para isso, contou com quatro partidos, debates, mesários, fiscais, título de eleitor e até urna eletrônica. Tudo organizado pelos alunos, com a orientação dos professores e de um representante do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF).
 
Debates eram realizados semanalmente. “Procurou sempre levantar temas relevantes, como o SUS (Sistema Único de Saúde) e o porte de arma, assuntos atuais e que possam ser o tema da redação do PAS (Programa de Avaliação Seriada) ou do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)”, afirma o coordenador pedagógico do Logos, Antônio Carlos Ribeiro.

Publicidade