Na América Latina, hermanos fazem folia colorida, alegre e multicultural

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/01/2013 09:11 / atualizado em 04/02/2013 09:33

Trismo Entre Ríos/Divulgação


Não quer enfrentar longas horas de voo nem climas frios para curtir o carnaval no exterior? Então aproveite as comemorações dos países vizinhos. Uma das opções é a Argentina. Lá, as festas acontecem em várias cidades, sendo Gualeguaychu a mais conhecida, com desfiles e mulheres de biquinis. San Luis, Paso de Los Libres e Buenos Aires também têm grandes festas. Logo ao lado, no Uruguai, as festas são ainda maiores - ou, pelo menos, mais duradouras, já que começam cerca de 40 dias antes do feriado, sendo o carnaval mais longo do mundo. Os desfiles de lá misturam tanto elementos europeus quanto temas africanos. Também se espalham pelas cidades, principalmente Montevidéu, teatros populares e murgas (espécie de ópera popular). Vale visitar, ainda, o Museo del Carnaval, que fica na capital.


No Paraguai, o que mais chama a atenção é a guerra de balões d'água feita pelos jovens nas ruas de Assunção - o costume também existe no Equador, onde além de água, os participantes usam ovos e farinha, além das paradas de Guaranda e Ambato. Já na Bolívia, a tradição está associada a elementos nativos do país, com desfiles, concursos de fantasia e bonecos, tendo dois grandes personagens: Ch'uta (referente à área rural) e o colorido Pepino, que é desenterrado para as celebrações em La Paz. Já em Oruro, as danças típicas são destaque, como a Diablada e a Morenada.

A mistura étnica também caracteriza o carnaval de Barranquilla, na Colômbia. As ruas se enchem de cores e ritmos musicais, como a cumbia, o mapalé e a garatuja, na conhecida Gran Parada. Assim como em Nice, também há a batalha das flores para embelezar a cidade. Na Venezuela, as grandes festas são em Carúpano, Callao (com desfiles ao som do ritmo calipso), Merida (com a Feira do Sol) e Trujillo.

E se você topa esticar a viagem até a América Central, as opções continuam. No Panamá, principalmente em Las Tablas, o carnaval lembra Salvador (exceto pela música), com trios elétricos e ruas lotadas, além dos famosos jatos de água jogados no público. O evento é o mais significativo do ano em Trinidad e Tobago, com desfiles, fantasias, trios e música calipsa (festas parecidas com essa são as de Miami, Nova York, Houston, Toronto e Londres). Já no México, o carnaval é celebrado no período da páscoa, marcado pela música, comidas, bebidas e cores pelas ruas de todo o país, em especial Veracruz e Mazatlán, com a eleição do Rei Feio, que remete ao Rei Momo do Brasil.
Que tal variar no carnaval desse ano? Além de conhecer outros costumes, você ainda pode treinar o espanhol, enquanto se diverte nas fiestas latinas.

Datas
México (Veracruz e Mazatlán): 6 a 12 de fevereiro
Panamá (Las Tablas): 8 a 12 de fevereiro
Trinidad e Tobago (Porto de Espanha): 11 e 12 de fevereiro
Colômbia (Barranquilla): 9 a 12 de fevereiro
Equador (Guaranda): 11 e 12 de fevereiro
Venezuela (Carúpano): 11 e 12 de fevereiro
Bolívia (La Paz): 9 a 17 de fevereiro
Argentina (Gualeguaychu): 19 e 26 de janeiro; 2, 9, 16 e 23 de fevereiro
Uruguai (Montevidéu): começa cerca de 40 dias antes de 12 de fevereiro
Paraguai (Assunção): 11 e 12 de fevereiro

Leia a opinião de quem já passou o carnaval no exterior

Ainda em dúvida sobre onde passar as festas? Veja o que alguns turistas acharam da experiência em outros países

"Já fui no carnaval de diversos lugares. O de Veneza é o mais tradicional e divertido da Europa, com os bailes de máscaras e músicas peculiares. Nice e New Orleans são muito parecidos. Tem o Mardi Gras, que é o carnaval de rua, e as disputas pelos colares de contas dos participantes. Assunção tem a guerra de globitos, onde os jovens passam o dia todo jogando balões com água uns nos outros. E tem os bailes de salões, muito parecidos com os daqui. Tem guerra de globitos na Isla Margaria (Venezuela) também, acompanhado de escolas de samba.", Nico Cesari, 46 anos, empresário

"Como já dizia o ditado,'quem não tem cão, caça com gato'. É dessa forma que temos que ser criativos para curtir a época do carnaval no Canadá. As festas parecidas com o carnaval brasileiro somente acontecem em recintos brazucas. No restante do país, aproveitamos o carnaval de inverno. Em Ottawa, o festival que anima as semanas de fevereiro é o Winterlude. Meu programa favorito é patinar os 7km do Canal Rideau (o maior do mundo) e conferir as esculturas de gelo. Além, é claro, de comer o delicioso beaver tail, uma massinha típica canadense com diferentes recheios. Esse ano, eu e meu marido estamos planejando ir ao festival de inverno de Quebec City, o Winter Carnival, ainda mais agitado que o de Ottawa. Quero ver os malucos tomarem banho na neve de biquinis e bermudas, assistir à corrida de canoas no meio do parcialmente congelado rio St. Lawrence, dar um abraço no famoso mascote Le Bonhomme e conhecer o palácio de gelo.", Mirella Matthiesen, 35 anos, agente de intercâmbio e blogueira de viagens (www.mikix.com)
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.