Quem torce o nariz para a folia tem outros planos durante o feriadão

Há gente que prefere descansar em um hotel fazenda, curtir festa de música alternativa, conferir a programação cultural e até mesmo ficar estudando para concurso público

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/02/2013 08:47

Breno Fortes/CB/D.A Press

Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu ou quem quer aproveitar o feriado para descansar, estudar, assistir a filmes e até para se divertir ao som de outros ritmos. Apesar de ser uma das festas mais tradicionais do país, muitos brasilienses torcem o nariz para a folia e preferem curtir o feriadão longe das festas e dos blocos de rua.



Em Brasília, muita gente aproveita para descansar, aproveitar a programação cultural da cidade e até cair na balada sem confete nem serpentina. As opções são diversas: hotéis fazendas, spas, aulas de meditação, exposições, mostras de cinema e festas de rock estão entre as saídas de quem não quer entrar no samba e no axé.

Há dois anos, a atriz e professora Márcia Amaral, 51 anos, decidiu se afastar dos trios elétricos e usar o dia de folga para descansar e deixar o stress de lado. “Meus filhos e meu marido sempre vão para Salvador. Eles adoram, consideram a melhor época do ano. Mas eu não gosto. Ficava ainda mais cansada depois”, admite.

Leia mais notícias em Carnaval 2013

Após conhecer um spa natural, em janeiro de 2012, decidiu que passaria ali os dias de festa. “É bom porque eles viajam e eu fico aqui recarregando as minhas baterias, me desintoxicando da correria e cuidando da minha saúde. Ano passado, fiz isso e todo mundo notou que eu estava mais feliz, tranquila e saudável”, conta.

Na programação de Márcia, estão aulas de ioga, massagens e outras atividades relaxantes. A administradora do spa, Késsya Alvis, 23 anos, acrescenta que não há vagas para o feriadão desde janeiro. “As pessoas estão cada vez mais estressadas, e nós temos um programa especial de relaxamento e desintoxicação”, relata.

Existe gente que detesta a folia. Para o DJ Lauro Montana, 33 anos, carnaval é sinônimo de pesadelo. “Eu odeio. Não gosto de samba, de desfile, de fantasia, de nada. Desde que comecei a curtir rock, parei de gostar de carnaval e isso faz muito tempo”, afirma.


Bruno Peres/CB/D.A Press


Fugir da folia já foi bem mais difícil, de acordo com Montana. “Antes, não havia opções. O único jeito de evitar era ficar trancado em casa torcendo para nenhum bloco passar na rua. Hoje, existem festas de músicas alternativas e muita gente que não abre mão do rock and roll até no carnaval”, descreve o DJ, que vai tocar em baladas de sexta a domingo (veja quadro).

Livros

Colocar a leitura em dia e assistir aos filmes candidatos ao Oscar são os planos do estudante Carlos Rocha, 22 anos. Apaixonado por cinema, quer ver todos os longas indicados antes da premiação, em 24 de fevereiro. “Gosto de ter palpites na hora em que entregam a estatueta. Não tem graça assistir sem ter visto os filmes. Desde que saiu a lista dos indicados, tive tempo de conferir dois filmes e agora vou aproveitar os dias de folga para ver os outros”, planeja. Carlos admite que não faz questão de festas carnavalescas. “Já fui a muitas delas, mas acho chato. É muito barulho e bagunça, não é para mim.”

Apesar de adorar samba, a carioca Érika Camargo, 32 anos, vai passar os dias acompanhada pelos livros. Formada em direito, ela sonha em passar em um concurso público. “Há muitas seleções abertas este ano e não posso parar de estudar. Sei que meus concorrentes não vão”, calcula. Érika estuda para concursos há três anos e desde então não pula carnaval. “Não sinto falta. Para mim, não há feriados, fim de semana, nada. É um objetivo e vai ser assim até eu conseguir”, garante.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.