Montagem do Galo Gigante deve terminar ainda esta tarde em Recife

O Galo Maestro da Ponte é um dos símbolos mais importantes do carnaval pernambucano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/02/2013 10:30 / atualizado em 07/02/2013 10:48

Teresa Maia/DP/D.A Press

A ponte Duarte Coelho, no centro do Recife, amanheceu nesta quinta-feira (7/2) com um cenário diferente. É que o principal personagem do sábado de Zé Pereira, o galo gigante, já começou a ser montado. A operação para colocar a estrutura de pé começou na madrugada de ontem e precisou de uma equipe de vinte homens. As peças foram trazidas de Igarassu, em seis caminhões.



A previsão é que O Galo Maestro da Ponte, como é chamado pelo seu criador, o artista plástico Sávio Araújo, esteja de pé às 14h da quinta-feira. Caso chova, a montagem poderá atrasar em poucas horas.

A escultura de 27 metros de altura, já é considerada um dos mais importantes símbolos do carnaval pernambucano. Este ano, os trajes do Galo Gigante terão referências aos homenageados do Carnaval do Recife deste ano, Naná Vasconcelos e o fotógrafo Alcir Lacerda. Ele vai vestir um colete com estampas africanas desenhadas pela designer Isabela Andrade Lima e vai levar no pescoço uma máquina fotográfica. As penas terão as cores preto, púrpura e dourado. A cauda traz tons de verde, fazendo referência ao altos coqueiros de Pernambuco. Os grandes maestros do frevo também são lembrados: o colete do Galo tem botões em forma de clavas de saxofone, assim como as suas caneletas. As esporas são em formato de pistões.

Assim como no ano passado, a mega escultura abrirá os festejos de Momo, no sábado, convidando os foliões para participar da festa. O Galo vai “cantar” o famoso frevo de Vassourinhas em intervalos de 15 minutos, a partir das 6h, enquanto aguarda a chegada do primeiro trio na Avenida Guararapes, por volta das 14h, e segue cantando até a passagem do último trio. A adaptação do gorjear do Galo para o frevo de Vassourinhas foi realizada pelo músico Carlos Chagas. Enquanto “canta”, o galo vai “frevar”, executando o “passo do parafuso” através de giros de 360º em seu eixo.

O material usado na face do Galo é a fibra do coco. O material, que foi desenvolvido pelo artista após anos de estudo, é 100% ecológico, leve e resistente. Por não ter nenhum componente inflamável, o produto é anti-chamas, e ao mesmo tempo resistente a água. Na confecção do Galo, além da fibra do coco, o artista utilizou ferro na sua estrutura interna. Foram usadas, ainda, 25 mil vassourinhas plásticas, tecidos com brilho (lupex) e emborrachados E.V.A (etil vinil acetato).

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.