Desfilar na Marquês de Sapucaí pode sair caro; preço das fantasias é alto

O preço médio do figurino carnavalesco pode chegar a R$ 1,2 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/02/2013 08:20

AFP PHOTO/VANDERLEI ALMEIDA

O Rio de Janeiro conta, a cada ano, com um número crescente de blocos de rua, mas sempre há quem prefira o glamour de desfilar em uma escola de samba pela Marquês de Sapucaí. Só que a brincadeira não sai barato: o preço médio de um traje carnavalesco das escolas do grupo especial, a elite do carnaval carioca, não sai por menos de R$ 700. Algumas podem chegar fácil a R$1,2 mil.



Quem deixou para a última hora a decisão de integrar uma grande escola de samba terá de se apressar. Restam pouquíssimas unidades à venda. Se a escolha for pela Unidos da Tijuca, campeã de 2012, ou pela São Clemente, da Zona Sul, o folião terá de esperar pelo carnaval de 2014, pois todas as fantasias já foram vendidas. Também não é possível desfilar pela Unidos de Vila Isabel, que leva em suas alas apenas pessoas da comunidade da escola.

A compra pode ser feita por meio dos sites das próprias escolas de samba que, em geral, apresentam fotografias, preços e contatos dos vendedores. Mas o preço anunciado no site nem sempre corresponde ao preço final, pois os vendedores dão descontos para grupos e, com a proximidade dos desfiles e a obrigação de completar as alas, fazem promoções que podem representar descontos de até R$ 200 sobre o preço oficial.

Presidente da ala Amar é Viver, da Imperatriz Leopoldinense, Hélcio Corrêa diz que ainda não baixou seus preços este ano, mas que, se for preciso, recorrerá à “liquidação”. “Tem que vender de qualquer jeito, porque é um produto altamente perecível. Meia hora depois do desfile já não vale nada. A fantasia é mais perecível do que peixe”, compara Hélcio.

Além da ala que preside, Hélcio mantém um site no qual vende trajes de seis escolas do grupo especial e três do grupo de acesso, a segunda divisão do carnaval do Rio de Janeiro. O grupo de acesso, aliás, é a melhor opção para quem quer sambar na Sapucaí sem gastar tanto. É possível encontrar na internet fantasias por menos de R$ 300, mesmo de escolas tradicionais que não conseguiram se manter no grupo especial, como a Caprichosos de Pilares.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.