Unidos do Jacarezinho abre desfiles da Série A com homenagem a Jamelão

Os desfiles do grupo de acesso do Rio de Janeiro acontecem na sexta-feira (8/2) e sábado (9/2)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/02/2013 18:03

Rio de Janeiro – As escolas de samba da Série A (antigo Grupo de Acesso) abrem nesta sexta-feira (8/2), às 21h, os desfiles oficiais do carnaval deste ano. A primeira escola a pisar na Marquês de Sapucaí será a Unidos do Jacarezinho. Depois desfilam a Unidos do Porto da Pedra, a Acadêmicos de Santa Cruz, a Unidos da Vila Santa Tereza, a União do Parque Curicica, a Estácio de Sá, a Alegria da Zona Sul, a Acadêmicos da Rocinha e a Unidos do Viradouro.


No sábado (9/2), mais mais dez escolas da Série A desfilam no Sambódromo: União de Jacarepaguá, Paraíso do Tuiuti, Tradição, Império Serrano, Acadêmicos do Cubango, Sereno de Campo Grande, Império da Tijuca, Caprichosos de Pilares, Unidos de Padre Miguel e Renascer de Jacarepaguá.

O cantor e compositor Jamelão, intérprete dos sambas-enredo da Mangueira de 1949 a 2006, que morreu em 2008, é o homenageado da Unidos do Jacarezinho, campeã do Grupo C no ano passado. O enredo é Puxador, Não. Intérprete! Por Mestre Jamelão. O carnavalesco é Marcus Ferreira e a escola sai com 20 alas.

Leandro Valente é o carnavalesco da Unidos do Porto da Pedra, que, com o enredo Me Diga o que Calças e Eu Te Direi Quem És, pretende mostrar ao público a influência que os calçados tiveram em grandes acontecimentos da humanidade. A escola de São Gonçalo, na região netropolitana do Rio de Janeiro, tem como cores principais o vermelho e branco e, como símbolo, o tigre.

O Dragão do Mar e a Lenda do Ceará é o tema do enredo da Acadêmicos de Santa Cruz, que entra na Marquês de Sapucaí com 25 alas. O carnavalesco é Sylvio Cunha. Criada em 1959, a agremiação teve como base o bloco de sujo Vai quem quer e em 1967 e 1968 começou a receber sambistas de outras escolas de Santa Cruz, bairro da zona oeste do Rio. Suas cores são o verde e o branco.

Leia mais notícias sobre Carnaval 2013

Com o carnavalesco Guilherme Alexandre, a Unidos da Vila Santa Tereza apresenta este ano o enredo Axé - No Caminho das Águas Sagradas. A história, que começa na África e passeia pelo tema das águas, acaba no Brasil, com o surgimento do sincretismo religioso, que é uma fusão de doutrinas de várias origens. A escola foi campeã do Grupo C em 2011 e tem a águia como símbolo. Foi fundada em 1956.

A União do Parque Curicica, do carnavalesco Paulo Brasil, traz para a avenida o enredo Quando o Samba Era Samba. A escola faz uma nova leitura do tema, apresentado pela Portela no carnaval de 1994. Uma das mais novas agremiações carnavalescas, criada em 1993, a União do Parque Curicica tem como cores principais o azul, o vermelho e o branco e, como símbolo, um aperto de mãos entre negros e brancos.

Jack Vasconcelos, da Estácio de Sá, mostrará ao público a história do gaitista, violonista, cantor, compositor, arranjador e produtor musical brasileiro Rildo Hora. Criada em 1928, a Estácio tem sede em Jacarepaguá e é uma das escolas mais antigas do Rio. O leão é o símbolo da agremiação. A Estácio foi vitoriosa apenas uma vez no Grupo Especial, em 1992, com o enredo Pauliceia Desvairada, 70 Anos de Modernismo no Brasil.

A Alegria da Zona Sul, do carnavalesco Eduardo Gonçalves, apresenta o enredo Quem não chora, não mama.... O tema principal é o Cordão da Bola Preta, tradicional bloco de rua do centro do Rio de Janeiro. A escola foi campeã do Grupo B no carnaval de 2010 e representa a comunidade do Cantagalo-Pavão-Pavãozinho, situada em Copacabana.

Mistura de Sabores e Raças - Uma Feijoada à Brasileira é o enredo da Acadêmicos da Rocinha, que tem como carnavalesco Luiz Carlos Bruno. A escola vai mostrar a diversidade culinária existente no Brasil. A borboleta é o seu símbolo e as cores são o verde, azul e branco. A Acadêmicos da Rocinha originou-se de três blocos: Império da Gávea, Sangue Jovem e Unidos da Rocinha. Em 1996, a escola foi vice-campeã do Grupo de Acesso A e, com isso, chegou pela primeira vez ao Grupo Especial.

A Unidos do Viradouro, do carnavalesco Max Lopes, com o enredo Nem Melhor Nem Pior, que Não Sai da Minha Mente. Inspiração para o Meu Samba, Eu Também Sou Diferente, fecha o primeiro dia de desfiles das escolas da Série A. Mais antiga do grupo, fundada em 1946, a Viradouro é uma escola de samba tradicional de Niterói. Depois de 20 anos no Grupo Especial, ela foi rebaixada para o grupo de acesso em 2010, quando terminou na última colocação.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.