Recife se agita para receber o símbolo mais expressivo: o Galo da Madrugada

Organizadores da festa esperam 2,3 milhões de pessoas para manter o recorde de maior bloco de rua do mundo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/02/2013 07:05

Annaclarice Almeida/DP/D.A Press


Recife
— “Este galo canta, este galo dança…” Os versos de Capiba, no frevo-canção Canta, Galinho, canta, se encheram de vida. Passe de mágica que uma multidão de pernambucanos e turistas poderá ver, a olhos nus ou mascarados, no 36º desfile do Galo da Madrugada. Hoje, o símbolo máximo do carnaval pernambucano cairá no passo para fazer a cidade tremer e mostrar que o Recife tem o melhor e maior carnaval do Brasil.


Para o presidente do Galo, Rômulo Meneses, o bloco continuará sendo um “rio de gente”, alegoria que alude ao tema do desfile O Rio São Francisco deságua no mar do frevo, sugerido pela cantora Fafá de Belém logo após o carnaval de 2012. “O Galo tem muito a ver com o São Francisco. Os dois, cada um da sua forma, geram energia e renda, são importantes para o nosso povo”, diz Meneses, que destaca o fato de a agremiação ir às ruas em 9 de fevereiro deste ano, o Dia do Frevo. A expectativa é que, em 2013, mais de 2,3 milhões de pessoas invadam o Centro.

O Galo continuará com o trajeto de 5km dos últimos dois anos. Depois da queima de fogos, às 9h, o bloco sairá da Travessa do Forte em direção à Rua Saturnino de Brito. As recompensas para quem encarar a maratona são 25 trios elétricos, com mais de 40 artistas. Entre os nomes mais conhecidos estão Elba Ramalho, Almir Rouche e os maestros Forró e Spok. No time dos convidados, destaque para Fafá de Belém, Toni Garrido, Carlinhos Brown e Gaby Amarantos.

O fotógrafo Alcir Lacerda (falecido em setembro de 2012) e o percussionista Naná Vasconcelos, homenageados em 2013, também estarão bem representados na agremiação. O galo ganhou, entre outros adereços, um colete com estampas africanas e uma câmera no pescoço.

Marco Zero

Um cortejo de centenas de pessoas levadas por batuqueiros de 10 nações de maracatu, conduzidas pelo percussionista Naná Vasconcelos — um dos homenageados da festa — marcou o início da festa na Praça do Marco Zero. Às 18h de ontem, uma abertura apoteótica inaugurou a folia na cidade. A festa começou ao som das apresentações de corais. O Coral das Mulheres foi o primeiro a se apresentar, seguido do bloco Pierrot de São José. Ainda estavam previstos shows de Milton Nascimento, Emílio Santiago, Otto, Lenine e outros artistas.

O Galo em números


2 freviocas
2 minitrios
25 trios elétricos
4 carros alegóricos
12 carros de apoio
20 bonecos articulados
15 estandartes
100 cabeções
30 passistas
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.