Corrida à elite do carnaval brasiliense começa nesta noite de domingo

Escolas do grupo de Acesso entram na Passarela do Samba, a partir das 19h, em busca de ascensão ao grupo Especial

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/02/2013 15:40

De casa nova, o carnaval de Brasília apresenta, neste domingo (10/2), o desfile das cinco primeiras escolas do grupo de Acesso. A partir das 19h, Unidos do Varjão, Candangos do Bandeirante, Capela Imperial, Dragões de Samambaia e Unidos do Riacho Fundo I entram na Passarela do Samba. Em comum, apenas a esperança de alcançar o grupo de Especial, em um ano marcado pela volta dos desfiles ao Plano Piloto. As demais agremiações desfilam nesta segunda-feira (11/2), no mesmo horário.


Campeã dos blocos de Enredo no ano passado, a Associação Recreativa e Cultural Unidos do Varjão será a primeira a desfilar. Sem tomar conhecimento do suposto azar que cerca o número 13, com o enredo Varjão do Torto, de 13 letras, a escola vai passear por histórias e situações em que o algarismo é o protagonista. "Falaremos do Zagallo; do baralho, que tem 13 cartas em cada naipe; do Sol, o décimo terceiro elemento do zodíaco; do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma", antecipa o diretor de Carnaval da escola, Carlos Pereira.

A Unidos do Varjão entra na avenida com 400 componentes - cerca de 90% da própria comunidade , incluindo três casais de mestre-sala e porta-bandeira, um deles, mirim - , em sete alas e cinco carros alegóricos. Segunda a desfilar, a Escola de Samba Candangos do Bandeirante, leva o enredo Carnaval, a festa dos pecados para a Passarela do Samba. Os carros, alas e fantasias representarão a gula, avareza, luxúria, ira, preguiça, orgulho e inveja. "Os componentes da comissão de frente serão os mensageiros de Momo: Pierrot, Colombina e Arlequim", adianta o presidente da escola, Rogério Raimundo da Silva. A Candangos do Bandeirante desfilará com 12 alas e 420 componentes.

Leia mais notícias no especial de Carnaval

Rádio e chapéu - Rebaixada no ano passado, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Capela Imperial, de Taguatinga, busca voltar à elite com o enredo Nas ondas do rádio sintonize Capela Imperial. "Serão dois carros simbolizando a passagem da primeira transmissão, a primeira música e as rádios jovens de Brasília", explica a presidente da Capela Imperial, Cíntia Aquino. A escola desenvolve o enredo em 10 alas e 420 participantes e guarda alguns trunfos na manga, como o intérprete oficial da Estácio de Sá, do Rio de Janeiro, Leandro Santos.

Com três carros, 10 alas e 450 componentes, a Associação Cultural Desportiva e Recreativa Dragões de Samambaia chega com o enredo Chapéu: o que protege, enobrece e enfeita as civilizações. Quarta a entrar na avenida, a escola viaja no tempo e resgata a história do acessório.

O presidente de honra da escola, Vicente Beserra, explica parte da evolução do desfile. "O primeiro trecho contará como o chapéu era usado antigamente, quando os primitivos protegiam a cabeça com couraça de animais. O segundo, passeia na Grécia e Roma antigas e passa pela nobreza."

Última a entrar na avenida, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Riacho Fundo espera ser o primeiro colocado no carnaval 2013 com o enredo Chico Mendes, o guardião da floresta. A agremiação vai apresentar, com 360 componentes, dois carros alegóricos e sete alas, a luta do ativista ambiental e líder sindical pela preservação da natureza contra o desmatamento e seu trabalho como seringueiro. "Vamos resgatar a história dele. As lutas, os prêmios, além de mostrar a Floresta Amazônica", antecipa o diretor de carnaval, Rinaldo Marinho.

Passarela do Samba

Segunda (11/2), a partir das 19h30

Grupo de Acesso

Unidos da Vila Paranoá
Unidos da Vila Planalto e Lago Sul
Aruremas
Mocidade do Valparaíso
Império do Guará

Terça (12/2), a partir das 19h

Grupo Especial

Acadêmicos de Santa Maria
Mocidade do Gama
Acadêmicos da Asa Norte
Águia Imperial de Ceilândia
Aruc
Bola Preta de Sobradinho
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.