Confira como foi o primeiro dia de desfiles do Grupo Especial do Rio

Campeã do ano passado, a Tijuca teve problemas com carros e pessoas que passaram mal. No entanto, animou a plateia com membros representando Thor munidos do martelo "flutuante"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/02/2013 08:13 / atualizado em 11/02/2013 09:02

O primeiro dia de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro ocorreu neste domingo (10/2) com a apresentação de seis escolas de samba, com destaque para Mocidade Independente de Padre Miguel, Unidos da Tijuca e Portela, última escola a passar pela Sapucaí. Além delas, também desfilaram, pela ordem, Inocentes de Belford Roxo, União da Ilha e Mocidade. O desfile foi marcado também pela presença do Corpo de Bombeiros, que entrou em cena na Sapucaí várias vezes para socorrer pessoas e carros alegóricos. As escolas agora aguardam a apuração dos votos, que ocorrerá na quarta-feira (13/2). Outras seis escolas ainda vão se apresentar nesta segunda-feira (11/2).


Pilar Olivares


Campeã do Grupo de Acesso do ano passado, Inocentes de Belford Roxo foi a primeira escola a desfilar, além de ser estreante no Grupo Especial. Com 1h22, encerrou o desfile, às 22h22. A agremiação trouxe o enredo "As sete confluências do Rio Han - 50 anos de imigração da Coreia do Sul no Brasil. ’fez uma homenagem aos 50 anos da imigração sul coreana no Brasil, tema explorado também pela Unidos de Vila Maria, com o enredo “Made in Korea: 50 anos da imigração coreana no Brasil” no carnaval de São Paulo. Um dos destaques foi a Comissão de Frente, chamada "Calendário Lunar", que contou com 15 dançarinos e um módulo que representou o zodíaco oriental e a passagem do ano do Tigre para o da Serpente. Ao todo, 4.200 componentes foram divididos em sete setores e 27 alas.

Antonio Scorza


Às 22h27, a Salgueiro invadiu a avenida em um rico desfile. Atual vice-campeã do Carnaval carioca e completando 60 anos, a agremiação falou da busca pela fama ao longo da história da humanidade. O enredo "Fama" causou polêmica ao longo do ano passado, depois de o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol-RJ) criticá-lo ao defender que escolas com temas que ele julga sem relevância cultural e histórica não deveriam receber recursos públicos. A Comissão de Frente chamou a atenção do público, quando a escola fez curiosa encenação de uma briga entre Marilyn Monroe e Amy Winehouse em um programa de calouros. Após a discussão, Marilyn - interpretada por um bailarino - se joga da limousine e cai no meio de vários paparazzi, mas é amparada por seus seguranças. A Salgueiro deixou o sambódromo às 23h47, depois de 1h20 do desfile de 3.800 componentes, divididos em 36 alas.

Christophe Simon


Com o enredo "Desceu Num Raio, é Trovoada! O Deus Thor Pede Passagem pra Mostrar Nessa Viagem a Alemanha Encantada", a Unidos da Tijuca levou 3.800 componentes para a Sapucaí, em 30 alas e seis carros. A campeã do carnaval de 2012 teve um começo nada animador, já que o segundo carro da escola teve um problema e homens do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro tiveram que subir no carro-alegórico para prestar assistência. Em outro momento, uma pessoa chegou a passar mal por conta do calor e novamente os bombeiros tiveram que ser chamados. O carro abre-alas, de 30m de comprimento, também apresentou problemas e ficou parado por alguns minutos. Foi necessário cortar uma junção e dividir em dois o enorme veículo, para que ele pudesse ser retirado. No geral, as fantasias das alas estavam bem confeccionadas, com cores vibrantes. A atriz Juliana Alves, rainha de bateria, também foi um dos brilhos mais intensos no desfile. A Unidos da Tijuca deixou a Sapucaí à 1h12, com 77 minutos de desfile.

Ricardo Moraes


União da Ilha do Governador cantou "Vinicius, no plural. Paixão, poesia e Carnaval", em celebração ao centenário de nascimento do compositor, poeta e dramaturgo. Orfeu, Garota de Ipanema e outros sucessos foram lembrados, além das parcerias que o homenageado fez com Toquinho, Tom Jobim, Carlos Lyra, Baden Powell e outras estrelas da música popular brasileira. Toquinho foi um dos destaques do desfile, que teve ainda a presença da garota de Ipanema Helô Pinheiro e da atriz Letícia Spiller.

Christophe Simon


O vetereno Serguei, de 79 anos, foi o destaque no carro abre-alas da Mocidade. A agremiação trouxe o enredo "Eu vou de Mocidade com samba e Rock in Rio - Por um mundo melhor". A apresentação contou com 3.600 componentes, em 36 alas, divididos por sete setores, com sete alegorias. O evento teve sua trajetória contada por meio de ídolos de vários gêneros. A bateria dos mestres Bereco e Dudu teve companhia do cantor e ator Evandro Mesquita, que acompanhou a bateria segurando uma guitarra. Sósias também encantaram a plateia. Covers de Elvis Presley, Cazuza, Raul Seixas, Jimmy Hendrix, John Lennon, Dona Summer, Michael Jackson e Renato Russo fizeram performances na Sapucaí.

Antonio Scorza


A tradicional Portela encerrou a primeira noite de desfiles na Marquês de Sapucaí rendendo homenagens aos 400 anos do bairro de Madureira, no subúrbio do Rio, onde fica a quadra da escola, com o enredo "Madureira… onde o meu coração se deixou levar". O cantor e compositor Paulinho da Viola, ícone da escola, foi escolhido como o fio condutor do samba da agremiação. Os 3.700 componentes foram divididos em 31 alas. A comissão de frente surpreendeu com uma transformação ao vivo: um trem virou teatro e componentes fantasiados de malandros se vestiram de vedetes na frente do público. A águia símbolo da azul e branca veio estilizada neste ano, no primeiro carro.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.