Mangueira inova com duas baterias, mas estoura tempo de desfile na Sapucaí

Para tentar vencer pela 18ª vez o carnaval do Rio, a agremiação verde e rosa contou a história de Cuiabá

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/02/2013 22:38 / atualizado em 11/02/2013 23:22



A tradicional escola Estação Primeira da Mangueira apostou na história de Cuiabá (MT) para vencer pela 18ª vez o carnaval do Rio de Janeiro. Com o enredo Cuiabá: Um Paraíso no Centro da América!, a agremiação contou uma história na avenida que conduziu o público a uma viagem de trem.



De acordo com o carnavalesco Cid Carvalho, o trem era um meio de transporte que foi esperado durante 150 anos pela população matogrossense para integrar a região ao restante do país. A principal novidade deste ano foi que a agremiação levou duas baterias para a avenida. A novidade agitou o público e foi muita festejada na Sapucaí.

No entanto, o final do desfile foi repleto de confusão. Com problemas na evolução, a Mangueira não conseguiu fechar o desfile dentro do tempo limite, o que irá custar alguns centésimos na pontuação.

 

Na correria, um dos últimos carros ficou preso e retardou ainda mais a evolução.

No total, a escola, que tem 84 anos, levou para a Sapucaí sete alegorias, 49 alas e um total de 4 mil componentes.


Escute o samba-enredo



Cuiabá: Um Paraíso no Centro da América!

Autores:Lequinho - Junior Fionda - Paulinho Carvalho -Igor Leal
Intérpretes:Luizito - Zé Paulo Sierra - Ciganerey – Agnaldo Amaral

Dai-me inspiração oh Pai!
Pois em meus versos quero declamar
A capital da Natureza, eternizar
Embarque na Estação Primeira
O Mestre a nos guiar
Bambas imortais, o Eldorado dos antigos carnavais
Num relicário de beleza sem igual
Fonte de riqueza natural
Cidade formosa... Verde... Rosa
Teu nome reluz, Vila Real do Bom Jesus

O apito a tocar preste atenção!
Mistérios e lendas de assombração
Segui com coragem, mostrei meu valor
Eu sou Mangueira a todo vapor

Em cada lugar, um "causo" que o povo contou
Em cada olhar, na arte num poema brilhou
Um doce sabor, tempero pro meu paladar
Procure seu par, a festança vai começar
Na benção de São Benedito eu vou
Dançar com o meu amor, o sonho enfim chegou
Ao Paraíso, emoldurado em cintilante céu azul
Bendita sejas terra amada!
No coração da América do Sul
É hora de darmos as mãos
Agora seguir na missão
Sustentar na mesma direção

Mangueira no trem da emoção
Viaja na imaginação
Teu samba é madeira, é jequitibá
É poesia dedicada a Cuiabá

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.