Sempre favorita, Beija-flor levanta o público na Sapucaí

Com muito luxo nas fantasias, a escola de Nilópolis reproduziu na avenida a relação do homem com a raça de cavalo Magalarga Marchador

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/02/2013 00:30 / atualizado em 12/02/2013 01:36

AFP PHOTO/ANTONIO SCORZA


Com um tema pouco comum, que narra a relação do homem com o cavalo, a escola Beija-Flor levou para a Marquês de Sapucaí o enredo Amigo Fiel, do cavalo do amanhecer ao Mangalarga Marchador. Com o tema, a agremiação tenta conquistar pela 13ª vez o título do carnaval do Rio de Janeiro.


Com 43 alas, oito alegorias, num total de 3,8 mil integrantes, a azul e branco de Nilópolis abordou vários elementos que dizem respeito ao equino. Os carnavalescos André Cezari, Fran-Sérgio, Ubiratan Silva, Vítor Santos e Bianca Behrends prepararam carros que representaram desde os tempos da Belle Époque carioca até a relação do povo cigano com o animal.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira Claudinho e Selminha Sorriso conduziram de forma elegante e com muita alegria os componentes. Raíssa Oliveira foi o destaque da bateria e a ex-panicat Nicole Bahls, junto com as atrizes Cláudia Raia e Nanda Costa, a Morena da novela Salve Jorge, levaram beleza para a avenida.

No entanto, assim como a Unidos da Tijuca e a Mangueira, a Beija-Flor também sofreu com problemas em uma de suas alegorias. Um dos carros que levava um cavalo dourado teve um revés, coincidentemente, em frente aos jurados e teve que ser empurrado por alguns dos componentes da agremiação.

No total, a Beija-Flor venceu 12 dos desfiles de carnaval do Rio de Janeiro, nos anos de: 1976, 1977, 1978, 1980, 1983, 1998, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008 e 2011.


Escute o samba-enredo



Amigo Fiel, do cavalo do amanhecer ao Mangalarga Marchador


Autores: J. Velloso, Ribeirinho, Marquinho Beija-Flor, Gilberto Oliveira, Dilson Marimba, Sílvio Romai, Cláudio Russo e Miguel

Intérpretes: Neguinho da Beija-Flor

Eu vou cavalgar, pra encontrar
A minha história nesse mundo de meu Deus!
Venho de longe de uma era milenar,
Fui coroado quando o dia amanheceu!
Brilha, estrela guia... Um viajante, a sua sede a matar!
Presente de grego, que grande ironia
Herói das batalhas, real montaria!
Com asas surgiu do infinito, tão claro mito..
A joia rara de Alah!
Cigano... Buscando a purificação!
Mostrando elegância e bravura,
A minha aventura se torna canção!

É o bonde que vai, carruagem que vem...
Na viagem que trás, o amor de alguém!
Indomável corcel, alazão da Coroa...
Troféu da nobreza, estrela que voa!

Amigo do Rei, pela estrada lá vai o Barão!
Sul de Minas Gerais, galopei...
A riqueza da mineração!
Café me fez marchar... Ao Rio da corte a bailar!
Acreditar... Que fui a raça escolhida!
Sou um puro sangue azul e branco,
Um acalanto... a mais sublime criação!
Sou eu o seu cavalo de batalha,
Se a memória não me falha...
Chegou a hora de gritar é campeão!

Sou Mangalarga Marchador!
Um vencedor, meu limite é o céu!
Eu vim brilhar com a Beija-Flor...
Valente guerreiro, amigo fiel!
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.