Especial Carreiras

Publicidade

Correio Braziliense

Valorização no serviço público

Especializações são importantes também para os profissionais que atuam em empresas e órgãos públicos e ajudam a construir uma carreira de sucesso


postado em 08/11/2018 05:00 / atualizado em 07/11/2018 23:00

Servidor do Senado Federal, Tadeu Sposito do Amaral cursou duas pós-graduações(foto: Minervino Júnior/CB/D.A. Press)
Servidor do Senado Federal, Tadeu Sposito do Amaral cursou duas pós-graduações (foto: Minervino Júnior/CB/D.A. Press)

A importância de obter mais conhecimento vale para todas as áreas de atuação, inclusive no serviço público. Embora para muitos a conquista de uma vaga no setor represente o auge da carreira profissional, a qualificação não deve parar, principalmente se, entre os objetivos profissionais, está o de alcançar uma promoção, aumento de salário ou bonificações.
 
O servidor público da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) Thiago Dieb, 32 anos, trabalha no setor de Tecnologia de Informação (TI). Ele fez duas pós-graduações, uma em gestão de projetos e outra em engenharia de software. O objetivo era melhorar os conhecimentos teóricos e acadêmicos sobre elementos que ele já domina na prática.
 
“Como minha vida profissional me direcionou para uma área de gestão, agora faço um mestrado em tecnologias e sistemas informáticos web em que o conteúdo é bem técnico. A junção de tudo acaba agregando bastante às atividades do dia a dia”, relata Thiago.
 
Professor de Inovação da Universidade de Brasília (UnB), Antônio Isidro explica que estar sempre aprendendo é um grande diferencial para o profissional de qualquer área. “A especialização pode trazer grandes melhorias ao profissional. Ele ganha a possibilidade de aumentar as redes de relacionamento, pode receber uma promoção, ganhar notoriedade e reconhecimento dentro do trabalho. Nem sempre serão ganhos financeiros, mas são pontos importantes”, ressalta o especialista.
 
De acordo com ele, o ideal é que o servidor busque se especializar em algum tema relacionado à área de atuação. Assim, além de conseguir colocar em prática tudo o que está estudando, a possibilidade de crescimento aumenta. “No serviço público, temos carreiras que exigem habilidades específicas. Por isso, é preciso analisar bem o curso ao qual vai se dedicar. Pessoas que buscam opções fora da área de atuação não têm aplicação imediata em seus ofícios, mas conseguem se inserir no mercado de trabalho no contraturno, por exemplo. Muitos são professores em universidades, têm comércios”, cita.
Incentivo

O servidor público do Senado Federal Tadeu Sposito do Amaral, 32, fez duas pós-graduações e precisou se ausentar do trabalho em algumas ocasiões. As ausências foram compensadas com jornadas de trabalho mais longas em algumas ocasiões e dias de serviço nos fins de semana. “Sempre que me propus a fazer cursos, encontrei incentivo e compreensão de chefes e diretores”, afirma.
 
O servidor se especializou em comunicação legislativa e em inovação em mídias interativas e atua na secretaria de Comunicação Social do Senado. Na hora da escolha, ele procurou cursos que despertassem seu interesse pessoal e que tivessem relação com as atividades profissionais.
 
“Estudar assuntos de que não gostamos pode acabar sendo cansativo, entediante e chato. Claro que em qualquer curso há disciplinas mais e menos interessantes ou mais e menos aplicáveis na realidade imediata de trabalho. Mas todo conhecimento é bem-vindo. Toda formação é útil”, destaca Tadeu. Hoje, o servidor cursa mestrado em mídia e cidadania e faz questão de aprofundar os conhecimentos na área de formação e atuação.

Demanda crescente


A Escola Nacional de Administração Pública (Enap) oferece os mais variados cursos para servidores públicos. Nos últimos anos, houve um número elevado de inscritos nas qualificações oferecidas pela instituição e, em 2018, a demanda cresceu ainda mais, devido ao início da oferta de cursos voltados para gestores públicos.
 
De acordo com o coordenador-geral de especialização da escola, Rodrigo Lima, as maiores concorrências nos últimos três anos foram para os cursos de gestão pública com ênfase em governo local (23 candidatos por vaga), planejamento e estratégias de desenvolvimento (11 candidatos por vaga), desenvolvimento local e objetivos de desenvolvimento sustentável (11 candidatos por vaga), gestão pública (9 candidatos por vaga) e políticas de infraestrutura (9 candidatos por vaga).
 
“O principal objetivo da nossa oferta de cursos de especialização é que ela contribua com a atuação profissional do aluno, gerando conhecimentos e reflexões que possam ser utilizadas em seu dia a dia como servidor público de forma aplicada. Todas as especializações contam, inclusive, com um Trabalho de Conclusão de Curso, que pode ser um projeto de intervenção na sua própria instituição”, explica Lima.
 
Oferta de cursos de Especialização (Enap) - 2016 a 2018

Gestão Pública
Planejamento e Estratégias de Desenvolvimento
Gestão de Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação
Governança e Controle da Regulação em Infraestrutura
Políticas de Infraestrutura
Informática - Gestão de Tecnologia da Informação
Análise de Dados em Políticas Públicas
Desenvolvimento Produtivo
Gestão Pública com Ênfase em Governo Local
Gestão Pública
Gestão de Políticas Ambientais
Desenvolvimento Local e ODS 
 
 
A enfermeira Hannáh Ramos cortou gastos para investir na especialização em UTI neonatal e pediátrica(foto: Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)
A enfermeira Hannáh Ramos cortou gastos para investir na especialização em UTI neonatal e pediátrica (foto: Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)
 

Licença-capacitação


Dependendo do regime pelo qual foi contratado, o servidor público tem direito a uma licença-capacitação. De acordo com o professor Antônio Isidro, é uma forma de o Estado incentivar a qualificação profissional dos funcionários. Essa liberação tem o respaldo da Lei nº 8.112, 1990, que regulamenta o Estatuto dos Servidores Públicos Civis da Administração Pública Federal.
 
“Em alguns casos, o servidor tem um horário reduzido ou tem o direito de ficar até 90 dias afastado do trabalho para estudar. Normalmente, vai depender do regime do servidor, se ele foi contratado pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) ou pelo Estatuto do Servidor. Aqueles regidos pela CLT têm redução de jornada e os estatutários têm direito a licença capacitação de até 90 dias, com direito a remuneração”, explica Isidro.


Orçamento planejado


Investir em uma pós-graduação pode ser o diferencial na carreira profissional de qualquer pessoa, mas planejar o orçamento para este momento é tão importante quanto a escolha do curso certo. A enfermeira Hannáh Ramos, 28, começou a pós-graduação em fevereiro deste ano. Ela faz especialização em UTI neonatal e pediátrica e, para dar início ao sonhado curso, teve de se organizar financeiramente com o marido. Cortaram gastos e economizaram onde puderam.
 
“O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. A graduação não garante um emprego e, com isso, tenho a intenção de me especializar e continuar a me aperfeiçoar e atualizar. Tenho crescido bastante profissionalmente e não quero parar por aqui, almejo continuar me aprofundando”, ressalta Hannáh.
 
Entre os pontos a serem levados em consideração estão o custo total pelo tempo de curso, deslocamento e material, conforme elenca o professor de pós-graduação da IBE Conveniada FGV Leandro Garcia. Em contrapartida, ele destaca que várias pesquisas realizadas comprovam que, quando uma pessoa inicia uma especialização em uma instituição renomada, há um acréscimo no salário de 20% a 30%.
 
“Além do valor investido, é importante o aluno focar em outros benefícios que uma especialização pode trazer. O primeiro e mais importante é em qual instituição ele está ingressando e de que forma o curso pode agregar pontos positivos à carreira dele. O melhor investimento para um profissional é na carreira dele, é no conhecimento”, ressalta.
 
Para aqueles que desejam fazer uma pós-graduação, mas não têm condições financeiras no momento, o professor orienta que vale a pena se organizar e guardar o 13º salário. “O conhecimento e uma titulação nunca são perdidos, principalmente uma especialização em uma instituição de primeira linha”, garante.
 

Anote

 
| O 13º salário é importante para ajudar nas compras relacionadas às festas de fim de ano e quitar dívidas, quando for o caso

| Para não começar o ano seguinte com o fluxo de caixa negativo ou sem excedente de recursos, o ideal é separar uma economia mensal no orçamento que possibilite o pagamento parcelado da pós-graduação

| Pagamento à vista somente se o desconto for muito vantajoso e houver disponibilidade de caixa. Pegar empréstimo para este fim, jamais!

| Escolha o curso que mais se adeque às suas aspirações e que mais tenha a ver com o seu momento profissional, para que não gaste tempo e dinheiro. É importante fazer pesquisa detalhada das principais instituições. Às vezes, os preços variam muito. Vale a pena estar atento! 
 
Fonte: Diretor da STavares Consultoria Financeira, com MBA em Gestão Econômica e Financeira de Empresas pela FGV (RJ), Sérgio Tavares 

Publicidade