Eleicoes2010

Grupos contra e a favor de Roriz têm princípio de confusão em frente ao STF

Luiz Calcagno, Roberta Machado
postado em 22/09/2010 16:11
Cerca de 300 manifestantes pró e contra Joaquim Roriz (PSC) estão na Praça dos Três Poderes acompanhando o julgamento do recurso do ex-governador contra a impugnação de sua candidatura ao governo do Distrito Federal, nesta quarta-feira (22/9). Apesar da grande presença de policiais e de grades para dividir os grupos, já houve até agressões físicas.

Até as 16h, cerca 200 apoiadores de Roriz, vestidos com camisetas e empunhados bandeiras da cor azul (símbolo da campanha do ex-governador) trocavam provocações com os menos de 100 manifestantes contrários, vestidos com camisetas do PSTU, PT, PSol, e do Movimento "Roriz Nunca Mais".

Sérgio Alexandre Rodrigues, 29 anos, com a camisa preta do movimento levou um tapa no rosto de um rorizista, após gritar em um mega-fone: "Roriz de novo, está enganando o povo". O agressor e mais três pularam a grade que separa os dois grupos. Militantes do PSol tentaram tirar os apoiadores de Roriz da área destinada à eles pela polícia. A PM se mobilizou e, após discutirem com os rorizistas, conseguiram tirá-los de forma pacífica. Três homens da cavalaria chegaram para reforçar a segurança.

Um apoiador do ex-governador pegou uma faixa do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), que estava no gramado, e correu, arrastando-a no chão. Os rorizistas também gritam "Xô satanás" para o grupo oposto.

Segurança reforçada


A movimentação em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) começou momentos antes do julgamento do recurso do ex-governador Roriz. Até por volta de 14h30, alguns militantes rorizistas já ocupavam a Praça dos Três poderes, em frente ao STF.

A expectativa da Polícia Militar é que cerca de 2,5 mil pessoas compareçam ao local para se manifestar a favor e contra o candidato que corre o risco de ter seu registro impedido esta tarde. Por conta disso, a corporação preparou um esquema de segurança em frente à Suprema Corte, com grades para impedir a aproximação de manifestantes e outra para separá-los.

Oito carros da PM, entre elas, três micro-ônibus fazem o policiamento nas redondezas. Além disso, a cavalaria da polícia também foi acionada para o caso de precisar conter alguma confusão.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação