Em homenagem a vítimas, Lula diz que palavras são frágeis diante da brutalidade dos fatos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/01/2010 17:03 / atualizado em 21/01/2010 19:57

Muito emocionado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva citou e agradeceu nominalmente a cada um dos mortos que foram promovidos post-mortém ao posto imediatamente acima daquele que ocupavam. A cerimônia em homenagem aos 18 militares brasileiros mortos no terremoto que atingiu o Haiti no último dia 12 aconteceu na Base Aérea de Brasília, às 16h desta quinta-feira (21/01).



Lula afirmou que “os corações brasileiros”, após a catástrofe, ficaram duplamente de luto, pela morte de haitianos e também pela baixa de brasileiros. “Há momentos em que as palavras se tornam frágeis diante da brutalidade dos fatos. A tragédia que se abateu sobre o Haiti foi um desses episódios em que o destino segue implacável”, disse.

O corpo do major Francisco Adolfo Vianna Martins Filho, uma das vítimas, foi levado em um carro de de combate Urutu para o cemitério Campo da Esperança, onde será enterrado no início da noite de hoje.

Os demais corpos seguirão para seus estados natais, sendo que, para Lorena (SP), seguirão quatro militares que faziam parte de um grupo de artilharia leve.

O general Enzo Martins Peri, comandante do Exército Brasileiro, também fez uma saudação aos militares mortos e aos familiares, a quem entregou a medalha Pacificador com Palma, uma honraria dada a militares que morrem em atos heróicos.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, também compareceram à cerimônia.

O presidente lembrou e lamentou também a morte de civis brasileiros, como a médica sanitarista Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança, enterrado no último dia 16 no Paraná, e do diplomata Luiz Carlos da Costa, vice-representante da ONU no Haiti, que está sendo velado hoje no Rio de Janeiro.

 

Com informações da Agência Brasil

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Afonso
Afonso - 24 de Janeiro às 08:25
E o BIAL (BBB) o que acha e o que vai falar de bravos SOLDADOS BRASILEIROS. Certo dia fiquei triste quando ele chamou aquela turma do big brothers de Heroís. concordo com Luciano "os meus sentimentos e que DEUS os confortem" .
 
Afonso
Afonso - 24 de Janeiro às 08:20
Esses sim, são verdadeiros heroís! Deviam ter seus nomes gravados em placas no Palácio do Planalto. Concordo com Andrea, qualquer cidadão que ganha uma simples medalha em competições recebe honras do tipo, passeio em carro pela capital, e os nossos Soldados tiveram uma cerimônia restrita para poucos.
 
Adailton
Adailton - 22 de Janeiro às 15:45
Na legenda da primeira foto o jornal trata o Comandante do Exército Brasileiro de |Coronel. Embora Coronel seja também um honroso posto no Nosso Exército o seu Comandante é General de Exército, o mais alto posto de uma nobre carreira. Lamento essa falta de conheciemto sobre nossa Instituição.
 
Andrea
Andrea - 22 de Janeiro às 09:51
Deve ser duro para os militares terem que engolir a presença de ex-terroristas no 1° escalão do governo... só falta daqui há uns 20 ou 30 anos o PCC estar no Palácio do Planalto...Deus nos livre desse povo que não sabe votar
 
marcos
marcos - 22 de Janeiro às 08:48
Crimes, sr joaquim? Que crimes? Crimes quem cometeu foram esses mesmo que hoje estao no poder. Assaltos, sequestros, bombas...Queriam (e agora estão conseguindo) transformar o Brasil numa ditadura castrista. Os militares precisam é de respeito, e não cerimonias pomposas. Salvaram o Brasil .
 
Luciano
Luciano - 22 de Janeiro às 08:23
Só assim mesmo para as FFAA terem algum reconhecimento por tudo o que fazem pelo Brasil. Aos familiares, os meus sentimentos e que Deus os conforte.
 
Hildo
Hildo - 22 de Janeiro às 05:42
Merecem a homenagem e galgarem um posto, acima. Os familiares sentiram-se orgulhosos, bem como, nós, Brasileiros.
 
Icaro
Icaro - 22 de Janeiro às 01:10
Muito oportuno o comentário sobre o corte de cabelo do presidente... Parabéns pela total falta de sensibilidade com os militares mortos e seus familiares...
 
Regina
Regina - 21 de Janeiro às 23:55
Não, guilherme, nós, de fato, não nos ativemos no corte de cabelo do Presidente da República na cerimônia em homenagem aos militares brasileiros mortos no terremoto do Haiti. Desculpe-nos pela falta de falta de futilidade e pelo excesso de respeito pelos mortos e suas famílias, ok Foi mal...
 
LUIZ
LUIZ - 21 de Janeiro às 22:30
Os militares das Forças Armadas, devem ser honrados em vida com um salário digno para sustentar suas famílias e não vim com a ter reconhecimento só depois de mortos. Esses se foram, e os que aqui continuam não merecem ser reconhecidos, nenhum comandante também reivindica nada, eles só fachada p povo.
 
João
João - 21 de Janeiro às 21:15
O PRESIDENTE DEVERIA SER EMOCIONAR TAMBÉM COM OUTROS ASPECTOS RELATIVO AOS MILITARES, PRINCIPALMENTE AQUELES QUE DIZEM RESPEITO AOS BAIXO SALARIOS PERCEBIDOS PELOS MESMOS.
 
Guilherme
Guilherme - 21 de Janeiro às 20:50
Vcs repararam o novo corte de cabelo que o Lula ostentou na cerimonia? Acho que ele mesmo ta cortando o próprio cabelo...
 
Joaquim
Joaquim - 21 de Janeiro às 19:10
A operação no Haiti é uma oportunidade para voltarmos a sentir orgulho das Forças Armadas, depois dos crimes que elas cometeram entre 1964 e 1985...