Porta-aviões italiano parte de Fortaleza com 74 voluntários brasileiros para atuar no Haiti

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/01/2010 18:53

A missão humanitária brasileira no Haiti ganhará, daqui a poucos dias, o reforço de um navio-hospital e de mais 74 civis e militares brasileiros que, voluntariamente, estão seguindo para o país caribenho a fim de ajudar a socorrer os sobreviventes do terremoto do último dia 12.


Os 63 militares e 11 civis partiram esta manhã de Fortaleza (CE) a bordo do porta-aviões italiano Cavour, no qual se somaram aos 900 militares italianos com quem realizarão uma ação conjunta. A previsão é de que, dependendo das condições, a embarcação chegue ao Haiti entre 1º e 2 de fevereiro.

Além de estar equipado com modernos equipamentos médicos como um tomógrafo computadorizado, o porta-aviões conta com um hospital emergencial de 35 leitos (oito deles para tratamento intensivo) onde, segundo a Marinha brasileira, será possível realizar procedimentos médicos bem mais complexos do que os que podem ser feitos nos hospitais de campanha.

O navio ainda conta com seis helicópteros, aos quais foram acrescidos mais dois embarcados pela Marinha brasileira: um UH-14 Super Puma e um UH-12 Esquilo. As aeronaves irão operar em conjunto em missões de busca e resgate de feridos, transporte de pessoal e material e apoio às tropas terrestres.

Ao todo, a equipe médica embarcada é composta por 25 profissionais da área de saúde, sendo seis médicos e oito enfermeiros da Marinha, além de cinco médicos e seis enfermeiros civis que foram selecionados pelo Ministério da Saúde entre os profissionais que se cadastraram no site ministerial. Mais de 7 mil especialistas se inscreveram para participar da missão de assistência humanitária.

Tanto os militares quanto os civis são voluntários. Os primeiros devem permanecer cerca de 30 dias embarcados, ancorados ao largo da costa marítima haitiana. Ao fim deste período, dependendo da evolução e das necessidades, a manutenção da missão e a eventual rendição das equipes será reavaliada.-->
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.