Distrito Federal recebe R$21,3 milhões para inclusão social de catadores

Além da capacitação profissional dos trabalhadores, verba também será usada para instalação de 12 centros de triagem para recicláveis

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/06/2013 14:41

O governo e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) investirão R$ 21,3 milhões na capacitação profissional de 2.160 catadores e na construção de 12 centros de triagem de material reciclável no DF. "Além de gerar benefícios ambientais para todos ao organizar o seguimento, conferirá dignidade e cidadania aos catadores", afirmou hoje o subsecretário de Captação de Recursos da Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplan), Genésio Vicente.



Os centros de triagem fazem parte do novo modelo de gestão de resíduos sólidos, que prevê o fechamento definitivo do lixão da Estrutural até dezembro deste ano, quando entrará em funcionamento o Aterro Sanitário Oeste. Assim, além dos espaços apropriados para o processo de separação, os catadores terão acesso às duas usinas de compostagem existentes, onde o lixo orgânico é tratado.

 

Leia mais notícias do Ser Sustentável

 

Com essa ação, a meta do governo, prevista para os próximos três anos, é elevar a renda média mensal dos catadores do Distrito Federal de R$400 para R$720. "A assinatura do contrato, que visa o apoio ao programa de Inclusão Social dos Catadores de Recicláveis, será uma grande conquista, com reflexos positivos para toda a população", ressaltou o subsecretário.

Para o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Brandão, esta ação viabiliza a inclusão efetiva dos catadores no sistema público de gestão de resíduos: "é importante garantirmos condições dignas de trabalho, como um teto e um banheiro", comentou Brandão.

Projeto
As ações realizadas com apoio financeiro do BNDES integrarão as medidas do programa de Inclusão Social dos Catadores de Recicláveis e Coleta Seletiva no Distrito Federal. A iniciativa gerará benefícios ambientais a partir de um modelo integrado de gestão de resíduos sólidos na capital do país.

Atualmente, são recolhidas cerca de 2,4 mil toneladas de lixo residencial por dia -cerca de 98% desse material é descartado no Lixão da Estrutural, enquanto que os 2% restantes são enviados para reciclagem.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.