Aprenda a cozinhar a paella do cerrado, feita com baru, jatobá e pequi

De acordo com o movimento Slow Food, o baru e o jatobá já fazem parte da lista de produtos nacionais que podem desaparecer

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/09/2013 08:00 / atualizado em 11/09/2013 00:05



Risoto com castanha de baru, bolo de jatobá com fubá de milho, medalhão de filé mignon envolto por crosta de baru, broa de jatobá, pé de moleque de baru, ou uma elaborada paella que, em vez de frutos do mar, leva o sabor de carnes com frutos do cerrado (incluindo os dois anteriores). O cardápio é de encher a boca d’água, mas o risco recente de extinção do baru e do jatobá faz com que essas receitas — que celebram o sabor do Centro-Oeste e de parte do Nordeste — tenham um gosto amargo.


Leia mais notícias do Ser Sustentável

Com a criação do catálogo Arca do Gosto — uma metáfora com a história bíblica onde os frutos que correm risco de extinção tomam o lugar dos animais —, em 1996, o movimento Slow Food já cataloga cerca de mil produtos regionais que correm risco de extinção e estão esquecidos em vários países.

Entre os 24 sabores brasileiros, o cerrado tem dois representantes: o jatobá está presente na lista da Arca do Gosto e o baru faz parte do projeto Fortalezas, que objetiva ajudar no desenvolvimento do fruto que se tornou, de alguma forma, obsoleto em seu uso no dia a dia, incentivando desenvolvedores, produtores e distribuidores.

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.