Atletas que treinam na seca podem ter mais resistência nas competições

Os atletas e o tempo no período de estiagem: o que pode fazer a diferença nas competições

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/09/2013 08:00 / atualizado em 10/09/2013 19:34

Tina Coelho/Esp. CB/D.A Press

O Sol a pino, o ar seco, a grama desbotada poderiam desestimular qualquer atleta nesta época do ano em Brasília. Mas não é o caso dos jogadores de futebol americano do Tubarões do Cerrado. A equipe reúne amantes do esporte desde 2004 — mesmo com o clima complicado de determinadas épocas.


“Na realidade, isso favorece a equipe. Fazemos os treinos no horário dos jogos e em condições adversas. Assim, em partidas oficiais, nosso preparo físico se sobressai ao dos adversários”, garante o atual presidente, Bernardo Bessa.

Leia mais notícias do Ser Sustentável

A tática realmente pode ajudar. O professor de educação física e especialista em fisioterapia desportiva Daniel Andrade conta que se ajustar ao horário e às condições de jogo pode contribuir para um bom rendimento. “Em provas em que o atleta terá de se submeter a temperaturas altas e umidade baixa, ele pode se adaptar treinando em regiões mais secas. Temos exemplos de ciclistas e triatletas brasilienses que, praticando no cerrado, obtiveram ótimos resultados em competições internacionais. O fator clima pode, sim, ter sido determinante.”

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.