Contando as gotas

Perto do encerraramento de prazo para hidrometração individual, condomínios de Brasília vem cada vez menos adotando o sistema

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/03/2014 00:00 / atualizado em 21/03/2014 15:46

A menos de 10 meses para o término do prazo para hidrometração indivudualizada em condomínios verticais, dados fornecidos pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) indicam que descresceram as instalações anuais de regiões administrativas do DF a partir de quando renovação do prazo foi anunciada.


Leia mais notícias do Ser Sustentável


Após revogação das resoluções nº 175/2007 e 99/2009 da Adasa, a Agência prolongou o limite que ia até 10 de janeiro de 2010 para 15 de janeiro de 2015. Curiosamente, o ano anterior ao encerramento do primeiro prazo foi o que mais acumulou instalações de hidrômetros individuais em relação aos outros anos. Antes disso, de 2006 a 2009 a quantidade de unidades instaladas apenas aumentou (veja quadro).

Segundo o regulador de serviços públicos da Superintendência de abastecimento, Igor Medeiros, o ápice de adesão foi em 2009. “Isso porque estava perto da data de encerramento prevista antes da resolução”, explica. No total, já são 65.146 apartamentos com contagem hídrica individual, obrigatória desde que foi sancionada a Lei Distrital nº 3.557, em 2005 (veja quadro). A região que soma mais medições individuais para o uso de água é Águas Claras, com 18.858 até 2013, seguida pelo Plano Piloto 12.075 e Taguatinga, que tem 8.184 hidrometrações individuais.

O condomínio da moradora de Águas Claras Ildeni Marques, 63, adotou recentemente ao sistema individual de hidrômetros. Em dois meses, ambas as contas foram menos de R$ 100. Para ela, acabou sendo vantajoso. “Antes, onde eu morava, a cobrança da conta da água era inclusa no condomínio. Como fui educada desde cedo a economizar água e cuidar da natureza, ficou mais em conta”, comenta. “Inclusive quando a diarista veio trabalhar, no primeiro dia eu já expliquei que não podia deixar a torneira ligada a todo tempo, como é de costume.”

Ainda segundo pesquisa da Superintendência de Abastecimento da Adasa, foram homologados 141 processos de dispensa para unidades que não fazem medição individualizada -- cerca de 7 mil condomínios e 10% em relação às que aderiram. O Plano Piloto é o lugar onde mais houve dispensas, com 3.133 unidades; enquanto o Sudoeste soma 2.001 e Águas Claras, 704. A obrigatoriedade da hidrometração individual cabe a projetos protocolados na administração da região da edificação até 22 de agosto de 2006. Projetos que foram registrados após essa data podem ser dispensados ao apresentar justificativas de inviabilidade técnica ou econômica -- no caso de o custo do hidrômetro geral ser mais em conta do que o oposto.

Economia

De acordo com Medeiros, a implementação de hidrômetros individuais se deve principalmente à redução de custo, mas traz outros benefícios como o racionamento. “Não temos um estudo para o valor em si, mas a estimativa é de que a redução seja em até 20% da conta. A partir do momento que você acompanha sua conta com uma consciência de consumo, quando se tem um controle individualizado, pode também ser benéfico à redução do consumo de água. Acreditamos em um benefício em sociedade e a longo prazo.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.