Pegada hídrica: o consumo de bens e a relação com a água

Entenda como uma blusa que você compra contabiliza litros de água durante o processo de fabricação, por exemplo.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/03/2014 13:15 / atualizado em 22/03/2014 13:19

O mau uso da água e a sua consequente má distribuição para a população acarretam em problemas de abastecimento, e isto já não é mais novidade. Mas e se fosse possível calcular o volume de água doce consumido em setores como a agricultura e indústria e, a partir daí, reverter esse quadro?


O conceito de pegada hídrica surgiu na Holanda, no final dos anos 2000, e é um indicador que mostra, justamente, o volume total de água doce utilizado para produzir os bens e serviços consumidos por cidadãos, comunidades ou empresas.

Leia mais notícias do Ser Sustentável

Segundo o coordenador do Programa Água para a Vida, da ONG WWF-Brasil, Glauco Kimura de Freitas, “o consumo tem tudo a ver com a água. A pessoa não associa que a água é usada na produção do alimento que ela ingere, da roupa que ela veste ou da caneta que ela compra. Neste sentido, a pegada hídrica é um conceito muito pedagógico”.

A partir de dados da Agência Nacional de Água (ANA) e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), descobriu-se que a agricultura é a maior usuária de água no mundo, seguida pela indústria. O uso doméstico aparece em terceiro lugar.

Tratando-se de quanto pode variar uma pegada hídrica, Kimura destaca que “muitas pessoas se assustam quando descobrem que para aquele quilo de carne vermelha que comprou no mercado, em países da Europa, gastam-se até 15 mil litros na produção, ou 130 litros para uma xícara de café. Muitos números que estão embutidos na cadeia de produção foram colocados nessa pegada.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.