A importância de saber fazer coleta seletiva do lixo

Você sabe separar o lixo corretamente? Mesmo quem tem o hábito de organizar os resíduos para a coleta seletiva pode apresentar dúvidas sobre o que realmente deve ser aproveitado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/06/2014 17:24 / atualizado em 05/06/2014 15:46

Tina Coelho/Esp. CB/D.A Press
 

 

Uma pessoa gera 1,2kg de lixo por dia. Em um ano e meio, será 1 tonelada, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). A maior parte desse montante pode ser fonte de energia e matéria-prima de segunda mão. Mas, só no último ano, 24 milhões de toneladas de resíduos foram descartados em lugares inadequados. Sandra de Oliveira, 39 anos, leva o assunto a sério e se responsabiliza pelo lixo que produz. O cuidado que ela tem com o material seco inspira colegas a fazerem o mesmo e monta uma cadeia de sustentabilidade. “Sempre foi uma preocupação”, diz.



Leia mais notícias do Ser Sustentável


Há quatro anos, a dentista separa tudo o que pode ser reciclado em casa e no trabalho e entrega para em cooperativa de catadores no Varjão uma vez por semana. “Eles dão o melhor destino para o meu lixo, vendem para empresas ou reciclam”, diz.

Cooperativa
No centro de saúde onde trabalha, Sandra separou uma lixeira especial para papel não contaminado, como recipientes de água sanitária e caixas de remédio. “Uma colega de trabalho virou parceira, traz os resíduos de casa e vamos levar para a cooperativa. Outra me entrega o material, porque não tem tempo”, acrescenta. Na residência, reúne caixas de suco, latas de molho de tomate e atum, frasco s de álcool, desinfetante, detergente… A partir daí, acrescenta o que acumulou no trabalho e entrega à cooperativa nas segundas ou nas sextas-feiras.

Sandra mora em um condomínio. A coleta seletiva acontece na porta do residencial, mas, ainda assim, ela prefere entregar pessoalmente o material que consegue nas mãos dos catadores. E conclui, entre risos: “Daqui a pouco, a gente vai ter que arrumar outro planeta para morar, tem muito lixo por aqui”.

Para esclarecer dúvidas sobre o que é possível reciclar, procure um dos núcleos do SLU, a administração regional ou visite o site www.semarh.df.gov.br

 

Linha do tempo

2005 – É encaminhado o anteprojeto de lei de “Política Nacional de Resíduos Sólidos”. Realiza-se a II Conferência Nacional de Meio Ambiente. É instituída nova Comissão Especial na Câmara dos Deputados.


2006 – É aprovado o relatório que trata do PL nº 203/1991, acrescido da liberação da importação de pneus usados no Brasil.

2007 – O Executivo propõe o projeto de lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos. O texto é finalizado e enviado à Casa Civil 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.