EUA propõem redução de 30% das emissões de CO2 em centrais elétricas

As centenas de centrais a carvão espalhadas no território americano fornecem quase 37% da energia elétrica do país, acima do gás natural (30%) e da nuclear (19%)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2014 14:42

Washington - O governo dos Estados Unidos propôs na semana passada cortes de até 30% nas emissões de gás carbônico nas centrais elétricas, na ação mais ambiciosa planejada pelo presidente Barack Obama na área da mudança climática. A Agência de Proteção Ambiental Americana (EPA) elaborou a proposta que permitiria aos estados escolher como reduzir em 30% as emissões de CO2 até 2030, na comparação com os níveis de 2005.


As centrais elétricas geram quase um terço do total das emissões de gás do efeito estufa nos Estados Unidos. Apesar do gás natural ganhar espaço há vários anos, o carvão continua sendo um componente central do cenário energético dos Estados Unidos. As centenas de centrais a carvão espalhadas no território americano fornecem quase 37% da energia elétrica do país, acima do gás natural (30%) e da nuclear (19%).

 

Leia mais notícias do Ser Sustentável 

 

"Promovendo as energias mais limpas e reduzindo o desperdício energético, o plano tornará mais saudável o ar que respiramos e contribuirá para desacelerar a mudança climática", disse a diretora da EPA, Gina McCarthy. Obama, que fez do combate ao aquecimento global uma das promessas centrais de sua campanha em 2008, decidiu privilegiar um enfoque de regulamentação depois de enfrentar um Congresso hostil ao tema de seu primeiro mandato.

 

"Limitamos as quantidades de produtos químicos tóxicos - como o mercúrio, enxofre e arsênico - que as centrais podem emitir no ar e na água. Mas podem emitir quantidades ilimitadas de CO2 no ar. Isto não faz sentido", destacou a agência no fim de semana a respeito da proposta que seria apresentada nesta segunda-feira. O governo dos Estados Unidos se comprometeu em 2009 a reduzir até 2020 as emissões de gás do efeito estufa em 17% na comparação com o nível de 2005.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.