Em defesa do lago Paranoá

Estudantes e escoteiros se reúnem para limpar orla de um dos mais importantes cartões postais da cidade. Mais de 90 quilos foram recolhidos pelos participantes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/11/2014 17:56

O sol não apareceu e o céu nublado se manteve por toda a manhã deste sábado (1) mas nem por isso estudantes e escoteiros deixaram de se encontrar no calçadão no final da Asa Norte para retirar resíduos sólidos do lago Paranoá.



Integrantes do projeto Navegando em Oportunidades, os participantes acordaram cedo em pleno final de semana para ajuda a deixar um dos principais cartões postais da cidade mais limpo. “Não tive preguiça não. Vim para ajudar. Precisamos deixar o nosso lago mais limpo”, dises animada a escoteira Tatiele Santana, 15 anos.

Colaboradora dos mutirões de limpeza desde 2012, Tatiele conta que se juntou ao grupo por gostar de tudo o que os colegas fazem. “É legal fazer o bem. E não é só para a natureza que a gente faz bem. É para nós mesmos, pra toda a população”, conta, orgulhosa de seu trabalho voluntário.

 

Ana Galli
 

 

Escalada para organizar o apoio da equipe, Tatiele estava acompanhada de sua colega, Jéssica Moraes, 14. Estudante do primeiro ano do ensino médio, Jéssica, que também integra o grupo há quase dois anos, conta que adora pegar o caiaque para recolher resíduos sólidos no lago. “Quase toda semana nós fazemos isso. Plástico, garrafas, pneus, ferro. As pessoas jogam de tudo no lago mas se esquecem que ele é a casa de vários peixes e animais”.

Tatiele, Jéssica e os outros 68 integrantes do mutirão percorreram durante toda a manhã de sábado a pé e em embarcações a orla do lago em busca de resíduos que estavam poluindo a região próxima à ponte do Bragueto, o Parque Vivencial e o calçadão da Asa Norte.

Ulisses José dos Santos Neto, diretor da Associação dos Escoteiros do Mar do Distrito Federal, uma das organizações envolvidas no projeto, explica que a intenção das atividades é levar conhecimento às crianças sobre a importância do meio ambiente, além da limpeza de áreas vulneráveis de Brasília. “

De acordo com o Serviço de Limpeza Urbana local, que participou do mutirão, foram recolhidos 92 quilos de resíduos retirados pelas crianças e adolescentes. “Mais importante que a quantidade de lixo recolhido é a realização dos participantes. Ouvir deles que querem voltar nos próximos mutirões é a prova de que nosso trabalho rende bons frutos”, conclui.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.