Publicidade

Correio Braziliense

Festival da Francofonia começa na próxima semana em Brasília

Francofonia sem fronteiras, show, bazar, cinema, arte e gastronomia se unem em festival para celebrar a diversidade nos países que falam francês


postado em 06/03/2020 19:46 / atualizado em 09/03/2020 16:07

É realizado há 23 anos em Brasília, sempre nesta época do ano, o Festival Francofonia. Assim como nos outros anos, há uma grande variedade de atividades culturais disponíveis para o público. O festival irá de quarta feira (11) até quarta-feira (25) de março, todas as atividades terão entrada franca.
 
(foto: Imagem de divulgação Francofonia)
(foto: Imagem de divulgação Francofonia)
Confira a programação a seguir:
Mostra de Cinema Francófono
Toda quarta-feira de março, às 19h, haverá a mostra de cinema francófono. A exibição será na Sale Le Corbusier - Embaixada da França. 
Os filmes que serão exibidos para o público são: Emma Peeters de Nicole Palo, 2018, na quarta-feira (11); Júnior Majeur de Eric Tessier, 2017, na quarta (18) e Le Milieu De L'Horizon de Delphine Lehericey, 2019, na quarta (25).

RESIDÊNCIA - MARKO 93
O artista grafiteiro Marko 93, estará em Brasília de quinta (12), às 10h, até domingo (15) às 22h. Durante o Festival da Francofonia, ele se hospedará na Aliança Francesa de Brasília, localizada no SEPS 708/907 Lote A, Asa Sul e fará uma intervenção especial nas paredes do prédio histórico. Além disso, haverá oficina de grafite e light painting (pintura de luz). 

Nascido em Saint-Denis, um subúrbio histórico da classe trabalhadora ao norte de Paris, foi lá que Marko deu seus primeiros passos. No fim dos anos 1980, o movimento Hip Hop surgiu e rapidamente estabeleceu raízes nas grandes cidades e subúrbios. Marko adotou o grafite como seu meio de expressão.

Exposição de Fotografia Aliança Francesa 
Na quinta-feira (12), às 19h, haverá o Prix Photo Aliança Francesa, um concurso nacional de fotografia aberto a profissionais e amadores. Com foco em temas da atualidade, um eco das grandes questões da atualidade, o objetivo é valorizar propostas artísticas originais, experimentais, que sejam abstratas ou documentais, e que ofereçam um olhar diferenciado.

O tema selecionado para essa edição são as fronteiras. A França tem maior fronteira terrestre com o Brasil. Na exposição, serão retratadas as fronteiras com seu significado mais tradicional, como limite, marco ou linha divisória entre dois países. Na galeria também serão expostas fotografias dos artistas brasileiros: Osmar Gonçalves dos Reis Filho (Fortaleza, CE), Kitty Paranaguá (Rio de Janeiro, RJ) e Luiz Baltar (Rio de Janeiro, RJ).
 

A exposição será na Aliança Francesa de Brasília, localizada na SEPS Q 708/908 - Asa Sul.

 

Bazar
O Bazar da Francofonia convida a todos para a grande festa da cultura francófona. Na Aliança Francesa, os expositores compartilharão sua história por meio da gastronomia, como a raclette Suíça e o chocolate belga. Também haverá um momento para a música, com a DJ Júlia Ayla e o DJ Tayrone. As crianças não ficarão de fora das atividades, e poderão se divertir com uma oficina de bambolês, brinquedos infláveis e pintura de rosto.
 

O evento ocorrerá domingo (15), das 10h às 17h, na Aliança Francesa de Brasília, localizada no SEPS 708/907, Lote A, Asa Sul. 

 

Curtas-metragens
No sábado (21), a partir das 11h, ocorrerá a exibição de curtas-metragens. Entre as produções exibidas estão: As três verdades, de Louisa Beskri et Wakili Adehan, Bênin, com duração de 14 minutos; O lutador, de Abib Cissé, Senegal, com duração de 14 minutos; O presente, de Ismael Dialo, Mali, com duração de 11 minutos; Shamazulu, de Jérémie Nsingui, República Democrática do Congo, com duração de 12 minutos, e Malika e a bruxa, de Nabaloum Boureima, Burkina Faso, com duração de 15 minutos. Já na segunda (23), será exibido, às 19h, o filme Nivel de Preto, de Valentyn Vassyanovich, lançado em 2016. 

Esta é a chance de conhecer um pouco mais da rica produção cinematográfica de Benin, Mali, Congo, Senegal, Burkina Faso e Ucrânia.
 
As exibições serão na Aliança Francesa, localizada no SEPS Q 708/908, Asa Sul, Brasília. 

Show - Mochélan
A noite oficial do festival Francofonia será na terça (17), e será marcada com a apresentação do artista polimórfico Mochélan, no Espaço Cultural Renato Russo, na 508 - Asa Sul, às 20h. 

Mochélan é um artista múltiplas facetas de Charleroi, Bélgica. Atingido pelo Hip Hop em meados dos anos 1990, ele segue na direção da escrita, o que o leva simultaneamente à música, ao slam, ao rap e até mesmo ao teatro.

No espetáculo Le Grand Feu, Mochélan, o beatmaker Rémon Jr e o diretor Jean-Michel Van den Eeyden lançaram o desafio de trazer à cena textos de Jacques Brel em versão rap, 40 anos após sua morte. Mais do que uma homenagem e diferente de um cover, Le Grand Feu é um encontro com o artista, suas palavras e seu pensamento.

Teatro musical - Mikro Théâtre
Na quinta-feira (19), às 18h30, a companhia Théâtrophiles, dirigida pela professora Isabelle Mariette, apresentará duas sessões teatrais e um concerto para homenagear a língua francesa e sua cultura. A apresentação terá personagens para lá de surpreendentes e uma peça que pretende levar o espectador em uma viagem direta às diversas realidades de cada personagem.

O local das sessões teatrais será no Lycée Français François Mitterrand, localizado no Lago Sul - SHIS QI 21. 

Karaokê -  Canadá Club
Das 18h às 23h da sexta-feira (20), a Embaixada do Canadá, no St. de Embaixadas Sul Quadra 803, Lote 16 - Brasília, promove o Karaokê Canadá Club, com a participação do DJ Henrique Barbosa. Os ingressos podem ser retirados pelo site da Eventbrite

Jornada da literatura francófona
Em 2020, na quarta-feira (18), às 18h, inicia-se o Clube de Leitura da Aliança Francesa para que amantes da literatura francófona possam se reunir e compartilhar essa paixão. O clube acontecerá na Aliança Francesa, localizada no SEPS Q 708/908, Asa Sul, Brasília.

No mesmo local, também haverá o Prix Goncourt, o prêmio literário mais prestigiado da França. Nos últimos anos, os Institutos Franceses de diferentes países, com o apoio da Académie Goncourt, uma academia literária francesa, organizaram a sua própria escolha para o Prix Goncourt : ela é chamada, em cada país, de Choix Goncourt. O Choix Goncourt du Brésil foi o primeiro a ser criado no continente americano, e foi celebrado em São Paulo. Esse ano, a cerimônia do Choix Goncourt du Brésil, será acolhida em Brasília. O romance escolhido como ganhador, terá apoio da Embaixada da França para ser traduzido. O evento contará com a presença da professora de literatura Dra. Ana Rossi (UnB).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade