Publicidade

Correio Braziliense

Ministério da Educação espera aplicação do Enem mais barata em 2019

Estimativa é de que custos totais sejam reduzidos em pelo menos R$ 52 milhões. Até o momento, gastos por prova são 60 centavos menores do que em 2018


postado em 10/10/2019 15:18 / atualizado em 10/10/2019 15:41

Alexandre Lopes:
Alexandre Lopes: "Três frentes: pedagógica, tecnologia e logística" (foto: Ana Isabel Mansur/Esp. CB/D.A Press)
 
Durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (10), na sede do Ministério da Educação (MEC), o ministro da pasta, Abraham Weintraub, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, apresentaram os gastos totais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 e as estimativas para 2019. 

Os custos do Enem 2019 giram em torno de R$ 537 milhões até aqui (confira lista abaixo). Segundo Alexandre Lopes, só será possível concluir o volume de gastos com precisão após a realização do exame. "Alguns pagamentos dependem da execução", afirmou. Em 2018, a aplicação do exame totalizou R$ 589 milhões. 

Os custos totais incluem a aplicação da prova, impressão da gráfica, distribuição via Correios e outras despesas, como capacitações, treinamentos e deslocamentos da Rede Nacional de Certificadores e repasses de segurança para o Ministério da Defesa, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. “Trabalhamos em três frentes: pedagógica, tecnologia e logística”, diz o presidente do Inep. 
O instituto projeta um Enem 100% digital até 2026, o que diminuiria os gastos com logística e material. Experiências fora do país mostram que a aplicação on-line é segura e viável, segundo Weintraub. “É tudo remoto, tudo on-line, com segurança e reconhecimento biométrico, sem risco de fraude”, diz o ministro. "Não dá para saber quanto vai custar essa fase piloto. Nossa equipe técnica tem sugestões de melhoramento para contrato atual. Queremos incorporar sugestões da área técnica, com contrato mais eficiente, gerando economia."

Em 2019, o custo com os Correios por prova, assim como o custo unitário de impressão, é de R$ 10 cada. O custo total por prova, em 2018, foi de R$ 106,13. Para este ano, o MEC espera gastar 61 centavos a menos por prova. Weintraub ressaltou que a maior parte dos custos do exame é desembolsada do orçamento público. "Neste ano, 34% dos gastos vêm de pagamento de inscrições. O restante é do pagador de impostos", afirmou. 

Confira os gastos totais da edição passada e os da edição atual até o momento:


2018
Custos totais: R$ 589.810 milhões
Custo da aplicação por prova: R$ 74,22
Custo unitário de impressão: R$ 12,56
Custo de Correios: R$ 10,68
Outras despesas: R$ 8,67
Custo total por prova: R$ 106,13

2019 (valores estimados)
Custos totais: R$ 537.665 milhões
Custo da aplicação por prova: R$ 75,12
Custo unitário de impressão: R$ 10,83
Custo de Correios: R$ 10,88
Outras despesas: R$ 8,69
Custo total por prova: R$ 105,52
 
*Estagiária sob supervisão de Jairo Macedo 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade