Publicidade

Correio Braziliense

INEP anula questão da prova de ciências humanas

Item já havia sido abordado no Exame, no ano passado. O órgão esclarece que a mudança não afeta a nota


postado em 19/11/2019 11:56 / atualizado em 19/11/2019 12:05

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anulou uma questão da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias da aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio deste ano. A questão se refere ao nº 90 do Caderno Azul; 78 do Caderno Amarelo; 66 do Caderno Branco e 72 do Caderno Rosa.

(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)


O motivo da retirada foi que a questão fez parte do Caderno de Questões Braile e Ledor do Enem do ano passado (questão 56 do Caderno Laranja). O caderno Ledor é preparado para os aplicadores que atuam como ledores para os participantes que, por algum motivo, solicitam auxílio para a leitura da prova como recurso de acessibilidade.

O Inep esclareceu que o cálculo estatístico da nota do Enem, de acordo com a metodologia da Teoria da Resposta ao Item (TRI), considera a combinação da coerência do padrão de resposta com o pressuposto da cumulatividade, e ainda, as características (parâmetros de complexidade) de cada item. Por isso, a anulação de um item, ou mesmo a aplicação de provas com itens diferentes, não compromete o processo de estimação da nota das participantes.

Respeitando a comparabilidade garantida pela TRI, as questões que compõem as provas acessíveis podem sofrer ligeira alteração comparadas à prova de aplicação regular devido às especificidades deste público. As provas do Caderno Braile e Ledor, por exemplo, contém a descrição de gráficos, imagens, esquemas e outros recursos visuais utilizados e questões que inviabilizam ou dificultam a compreensão por parte dos participantes com algum tipo de deficiência visual são substituídas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade