Publicidade

Correio Braziliense

Após decisão no Senado, Weintraub admite adiar Enem de 30 a 60 dias

Pelo Twitter, ministro fez nova sugestão, mas manterá a consulta aos inscritos no Enem na última semana de junho. Inscrições no exame terminam sexta (22/55)


postado em 20/05/2020 15:07 / atualizado em 20/05/2020 15:39

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou a se manifestar sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pela rede social Twitter.

 

Após o Senado aprovar quase que por unanimidade projeto de lei que posterga provas, como o Enem, para serem realizadas após a pandemia, na noite da terça-feira (19/5), o ministro sugeriu, na rede social, que a prova poderia ser adiada de 30 a 60 dias.

 

 

 

 

 

Antes da votação no Senado, no Twitter e em live no Instagram, Weintraub revelou a ideia de perguntar aos próprios estudantes sobre adiar ou não o Enem. O Ministério da Educação (MEC) fará uma espécie de enquete com os inscritos para saber a opinião deles na última semana de junho.

 

Com mais de 4,1 milhões de inscritos, o exame encerrará as inscrições na sexta-feira (22/5) pelo site. O projeto de lei que foi aprovado no Senado por 75 votos a 1 (o único voto contrário foi de Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro e senador pelo RJ) segue para a Câmara dos Deputados ainda nesta quarta-feira (20/5).

 

Se a união de líderes partidários a favor do projeto se mantiver, o projeto pode passar também nesta Casa antes de seguir para a sanção presidencial. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade