Preços de materiais escolares sobem em 2019

Confira orientações para economizar nas compras

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/01/2019 17:17 / atualizado em 07/01/2019 15:28

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV) produziu um levantamento que indicou alta nos preços dos materiais escolares em comparação com 2018. Entre janeiro e dezembro de 2018, os materiais escolares subiram, em média, 1,02% enquanto a inflação acumulada pelo Índice de Preços do Consumidor (IPC) chegou a 4,32%. 
 
 
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
 
 
O economista do Ibre André Braz revela que outros serviços também apresentaram aumento nos preços, como transporte escolar (5,19%), livros didáticos (0,50%) e os livros não didáticos (0,46%). Apesar de a alta nos valores praticados não ter sido tão grande assim de acordo com a pesquisa da FGV, o estudo orienta os consumidores a pesquisarem os preços para economizar nas compras, já que existe uma diferença de valores entre as lojas.

Confira orientações do Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) para a compra de material escolar:

  • Material escolar é item de uso exclusivo do aluno e restrito ao processo didático-pedagógico e tem por finalidade o atendimento das necessidades individuais do estudante; 
  • Não é permitida a cobrança de taxa extra ou de fornecimento de material de uso coletivo dos alunos ou da instituição. Itens de higiene pessoal, álcool, apagador, grampeador, giz, pincéis para quadro, clipes, cartucho para impressora, envelopes, etiquetas, copos descartáveis etc. são exemplos de materiais de uso coletivo; 
  • A lista de material deve ser acompanhada de um plano de execução, que deve descrever, de forma detalhada, os quantitativos de cada item de material e a sua utilização pedagógica;
  • É permitido aos pais o fornecimento parcelado do material. A entrega deve ser feita com, no mínimo, oito dias de antecedência do início das atividades;
  • A escola é proibida por lei de exigir marca, modelo ou indicação de estabelecimento de venda do material, com exceção da venda do uniforme.

A assistente de direção do Colégio Anglo 21, Carla Oliveira, preparou dicas para que os gastos não sejam além do necessário no momento da compra:

  • Foque em materiais básicos e duráveis;
  • Fuja dos personagens: muitas vezes, o personagem preferido do seu filho pode nem passar mais pela cabeça dele daqui alguns meses;
  • Converse com outros pais, se organize e procure um bom atacado;
  • Aprenda a reaproveitar, é importante conferir tudo o que sobrou do ano anterior;
  • Faça uma lista específica antes de sair de casa; 
  • Pesquise. É importante fazer uma pesquisa de preços, produtos, lojas e promoções; 
  • Desapegue das marcas;
  • Não depende apenas de você. Saber quanto custa cada produto e analisar as diferenças, benefícios e riscos de cada um contribui para que a criança ou o jovem passe a dar um valor maior para os itens do dia a dia.