GDF anuncia reforço na segurança de 40 escolas após ameaça de ataque

Entre as regiões administrativas que terão colégios com segurança reforçada estão Ceilândia, Gama, Planaltina e São Sebastião. Governo anunciou ainda lançamento do EducaDF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/03/2019 19:49 / atualizado em 19/03/2019 20:52

Ed Alves/CB/D.A Press

Diante do recente caso de ameaça em escola, o Executivo adotará medidas para reforçar a segurança nas instituições de ensino públicas do Distrito Federal. As medidas foram discutidas nesta terça-feira (19/3), em reunião entre o governador Ibaneis Rocha (MDB) e os secretários de Segurança, Anderson Gustavo Torres, e de Educação, Rafael Parente. Também participaram a comandante da Polícia Militar do Distrito Federal, Sheyla Soares Sampaio; o secretário-adjunto da Casa Civil, Marcelo Martins da Cunha; e o chefe da Casa Militar, coronel Júlio César Lima de Oliveira.

De acordo com Parente, nos próximos dias, cerca de 40 escolas contarão com a presença de policiais deslocados de outros grupamentos para reforçar o efetivo do Batalhão Escolar. Entre 150 e 180 militares atuarão em colégios considerados “problemáticos”. “Vamos reforçar a questão da inteligência e das rondas perto das escolas nos próximos dias. Em algumas, ficarão permanentemente. Outros ficarão entre dois ou três colégios. Isso vai depender do caso, da gravidade, da situação de violência e da agressividade”, detalhou Rafael Parente.

Cerca de 40 instituições de ensino passarão por esse monitoramento de inteligência e com fiscalização in loco e em mídias sociais. Entre as regiões administrativas que terão colégios com segurança reforçada estão Ceilândia, Gama, Planaltina e São Sebastião. “Infelizmente, estamos em uma fase de insegurança e temos tido brincadeiras infelizes em relação a comportamento dos adolescentes e precisamos inibir isso. Precisamos de uma resposta da Polícia Militar. Sabemos que será nos próximos dias”, declarou o secretário de Educação. 

Na sexta-feira (15/3), Parente afirmou que a pasta registrou casos de ameaças feitas por estudantes de quatro escolas da rede pública. As ocorrências foram investigadas, mas informações sobre os envolvidos não foram divulgadas para não atrapalhar o andamento dos trabalhos. Ele acrescentou que a nova medida não tem relação com as escolas de gestão compartilhada e que o Governo do Distrito Federal (GDF) aguarda apoio do Ministério da Educação (MEC) para ampliar a quantidade de escolas desse modelo. 


Plano estratégico 


O secretário afirmou, ainda, que o governador deve anunciar, nesta quarta-feira (20/3), um programa com uma série de ações focadas na educação. Intitulado EducaDF, o plano estratégico criado pelo Executivo envolverá cinco bandeiras com temas a serem encampados ao longo dos quatro anos de governo.

As frentes contemplam inovação tecnológica, segurança, excelência no ensino, construção de mais creches e escolas, além da valorização e do fortalecimento dos profissionais da área. Os detalhes, segundo Parente, serão divulgados a partir das 10h, em cerimônia no Palácio do Buriti. Ainda não há, contudo, registros sobre o evento na agenda pública do governador.