Ministro da Educação troca militar da Secretaria-Executiva por economista

Antonio Paulo Vogel de Medeiros foi um dos nomes anunciados nesta quarta-feira pelo novo gestor da pasta, Abraham Weintraub

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/04/2019 19:13 / atualizado em 10/04/2019 19:13

Rafael Carvalho/Divulgação Casa Civil
Ao anunciar seis nomes nesta quarta-feira (10/4) para ocupar cargos nas secretarias do Ministério da Educação, o novo gestor da pasta Abraham Weintraub trocou um militar por um economista na Secretaria Executiva. Antonio Paulo Vogel de Medeiros assume a secretaria no lugar do tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira. Vogel era braço direito de Weintraub na Casa Civil, onde tinha o cargo de secretário-executivo adjunto. 

O novo secretário executivo é um dos seis nomes que foram indicados no primeiro dia de trabalho do ministro da Educação. Além de Antonio, Weintraub Rodrigo Cota como secretário-executivo adjunto. Arnaldo Barbosa de Lima Junior assume a Secretaria de Educação Superior (Sesu); Janio Carlos Endo Macedo, a Secretaria de Educação Básica (SEB); Silvio José Cecchi, a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres); e Ariosto Antunes Culau, a Secretaria da Educação Profissional e Tecnológica (Setec).

Três dos seis nomes indicados por Weintraub são formados em economia e seguem a linha do próprio ministro, que trabalhou no Banco Votorantim por 18 anos. Lá, foi economista-chefe e diretor.

A falta de especialistas na área da educação preocupa alguns estudiosos do setor. "Nenhum deles tem experiência com a educação, exceto por Silvio José, que já chegou a trabalhar no MEC", afirma o doutor em psicologia da educação e pesquisador do Instituto Expert Brasil, Afonso Galvão. 

De acordo com o especialista, o ministro indicou pessoas que têm formação parecida com a dele. "Ele não se cercou de nomes técnicos, colocou gente parecida com ele. Parece que está se confirmando uma troca de seis por meia dúzia", critica.