Estudante brasiliense é finalista da Olimpíada de Biologia

André Café é aluno do Colégio Marista e foi o único escolhido da cidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/05/2019 18:39 / atualizado em 17/05/2019 18:49

André Café, 17 anos, é aluno do 3° ano do Colégio Marista Asa Sul e é o único estudante de Brasília selecionado para participar da final da Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB) 2019. O jovem recebeu a notícia nesta quinta-feira (16) e, apesar de ficar hesitante no início, optou por participar da 3ª fase. "Tive que pensar um pouco, pois estou no meio do período de aulas e terei que passar uma semana fora, mas acho que vale a pena", diz. 
 
 
Arquivo pessoal

André revela como se preparou para a prova: "Frequentei aulas que a própria escola ofereceu e estudei por alguns livros também", diz. Ele afirma que estava confiante no dia da avaliação, mas não imaginava ser escolhido para a final. "Não esperava chegar até a final. Até porque, ano passado, fiz a prova, mas não tive um resultado tão bom", afirma. "Acredito que o desempenho do ano passado tenha acontecido pela minha falta de experiência com a matéria, pois só tinha o conteúdo do primeiro ano do ensino médio", completa. 

André quer cursar direito, mas afirma que se inscreve nas olimpíadas como forma de aprimorar o próprio conhecimento. "Gosto de aprender coisas novas e de outras áreas. Encaro a OBB como um desafio pessoal para me testar", conta. O estudante, único do DF a viajar para a terceira fase, considera que é uma honra representar a cidade, mas sente que outras pessoas também poderiam ter sido selecionadas. "É uma sensação boa, mas fico pensando que muitas pessoas talentosas não vão podem ir. Entretanto, fico feliz de representar minha escola e cidade", explica. 

A prova será realizada na próxima semana no Instituto Butantan, em São Paulo. André dá dicas para quem desejar participar da OBB na edição de 2020. "Primeiro, você nunca pode querer subir muito na olimpíada e ignorar a escola, pois os dois são complementares. Segundo, é importante fazer a prova com calma; e terceiro, não leve a prova tão a sério. Faça a coisa ser leve", afirma. 

A escola e a própria olimpíada dividirão os custos da viagem de André. Depois desta etapa, os melhores classificados nesta competição voltada para os estudantes do ensino médio poderão seguir para testes internacionais na Hungria e na Bolívia, em datas ainda não confirmadas.