O que eu faço? A vida adulta é logo ali!

Na reta final dos estudos no Ensino Médio, as dúvidas lotam a cabeça da garotada que precisa, mais do que nunca, de apoio das escolas para ter mais segurança nas escolhas dos caminhos a seguir.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Arquivo Rede La Salle
 

Sonhos, incertezas, medos, ansiedades e muita curiosidade do que está por vir. Esses são alguns dos sentimentos que experimentam os adolescentes quando chegam ao Ensino Médio. Afinal, essa é uma época em que vão passar por exames seriados, prestar concursos e vestibulares, além de seguir rumo à formação de uma carreira que, em muitos casos, é para eles uma grande incógnita. Os especialistas em educação e em carreira profissional alertam que esses jovens precisam de muita atenção dos pais, mas principalmente das escolas em que estudam. Afinal, estão em um momento de grande tensão, pois as decisões que devem tomar a cada instante trarão consequências para o resto de suas vidas.



Um bom exemplo é o jovem de 17 anos, João Mário Gonzales, que está na segunda série do Ensino Médio. Por um lado, ele se sente cada dia mais confiante com os exames que já fez e que ainda virão pela frente, como PAS, Enem e Vestibular, mas por outro, a expectativa de sair da escola em tão pouco tempo lhe “dá um pouco de medo por não saber o que fazer com toda essa liberdade”, confessa. Já sua colega da primeira série do Ensino Médio, Kira Popov Souza, 14 anos, afirma estar igualmente ansiosa com as inúmeras responsabilidades e expectativas ao seu redor, além do receio de falhar no meio do caminho. Quando pensa no futuro cogita estudar Medicina Veterinária, “mas também já pensei em Matemática, Ciências Biológicas, Psicologia e Direito. Na verdade, eu estou bem perdida”, confessa.
Gilberto Evangelista

A adolescente de 17 anos, Bruna Luana Ribeiro, sabe que sairá muito em breve do colégio e carrega dentro de si um sentimento de dever cumprido. Apesar de pensar que está bem preparada para os desafios futuros, ainda tem algumas dúvidas: “Imagina eu fazer de tudo para ser médica, depois chegar lá e perceber que foi um tempo perdido, ou então gostar da profissão, mas não conseguir emprego?”. O mesmo tipo de questionamento que incomoda o seu amigo de turma, Mateus Machado de 16 anos. O garoto diz estar completamente exausto pela quantidade de estudos, mas principalmente pelo objetivo elevado que estabeleceu, “que é passar para Medicina na Universidade de São Paulo (USP), mas tenho medo de não conseguir realizar o meu desejo”.

De acordo com o diretor de Ensino e Inovações Educacionais do SAS Plataforma de Educação, Ademar Celedônio, essa fase pela qual a maioria dos jovens passa é um dos momentos mais difíceis da vida, pois eles precisam escolher entre seus sonhos, uma carreira economicamente viável e ainda tentar achar no meio disso tudo o caminho para a felicidade. Afinal, grande parte dos estudantes tem sonhos, mas “um sonho que não traz o mínimo de sustentabilidade no futuro pode virar uma grande frustração”, afirma o especialista.

Pensando em facilitar esse momento de transição para a vida adulta em que sonho e realidade estão em confronto constante, várias escolas já entenderam que oferecer ensino de excelência, estrutura física de primeira qualidade e corpo docente em constante formação deve fazer parte do menu básico de qualquer instituição. Agora elas precisam usar da criatividade para deixar o conteúdo curricular em sintonia com as necessidades do mundo real para o qual os estudantes estão se preparando.
 Gilberto Evangelista

É exatamente isso que indica a psicóloga do trabalho e professora da Universidade de Brasília, Ione Vasques de Menezes, que, com vários anos na orientação de profissões, afirma que a aprovação em todos esses exames não deveria ser a questão mais importante na vida dos jovens. Uma vez que, “o que importa não é passar ou não passar, mas a satisfação que eles precisam ter ao fazer um curso que irá formá-los para uma profissão em que sintam prazer de trabalhar”, argumenta. “Além de desmistificar os exames, as escolas deveriam se preocupar também com o conceito do trabalho e deixar claro aquilo que cada profissão faz verdadeiramente no seu dia a dia”, conclui.

Muito mais que uma escola

Frente aos inúmeros desafios em oferecer uma educação efetiva que transforme seus estudantes em cidadãos críticos, éticos e transformadores da realidade, as escolas brasileiras têm experimentado novos formatos ao criar estratégias de ensino autênticas e significativas. A Rede La Salle, por exemplo, investe todos seus esforços nessa direção e já vem colhendo bons frutos pelo caminho. No Colégio La Salle Núcleo Bandeirante, onde estudam João Mário e Kira, eles podem contar com o Prepara, um curso preparatório inovador para os exames vestibulares, o PAS e o Enem, com aulas específicas e integradas.

A estratégia é a seguinte: nas aulas específicas do curso, como Matemática, Física, Química, Redação, Inglês e Espanhol, um único professor é responsável por trabalhar o conteúdo já visto pelos estudantes em sala de aula. No entanto, o docente adota uma abordagem mais leve, dinâmica, criativa e com foco nos exercícios, na experimentação e principalmente no resgate daqueles estudantes que não tenham assimilado 100% da matéria. Já nas aulas integradas, uma equipe com cerca de dez professores trabalha, simultaneamente, na mesma sala de aula analisando as obras do PAS/UnB e os eixos temáticos do Enem com alunos das três séries do Ensino Médio.

A Coordenadora Pedagógica Susani Oliveira explica que “nesse momento é possível analisar a obra de uma forma universal e muito mais abrangente deixando os meninos prontos para encarar qualquer tipo de questão do PAS, seja ela uma música, um quadro, uma peça de teatro, um documentário, um audiovisual, um artigo, um livro ou um poema”. A dinâmica acaba gerando efeitos para além da sala de aula e de qualquer exame, pois “você passa a ter mais argumentos e diferentes visões sobre diversos assuntos”, destaca o aluno João Mário. “Você deixa de achar que uma música é só legal para perceber sobre o que ela realmente está falando, o seu impacto social” ressalta com entusiasmo.

Para o representante do SAS Plataforma de Educação, Ademar Celedônio, o importante é que nem tudo tenha cara de aula nesse tipo de iniciativa, “pois é preciso privilegiar momentos de equilíbrio, onde conteúdos possam ser estudados de outras maneiras por meio de debates, projeções de filmes ou na construção de uma encenação teatral”. Por isso mesmo que o Colégio La Salle Brasília criou a aula de atualidades, que aproxima o conteúdo visto em sala dos eventos que estão em destaque na imprensa. Os alunos são instigados a fazer uma leitura mais atenta dos fatos publicados na mídia, expondo seus pontos de vista com respeito e urbanidade enquanto se preparam para as avaliações de redação dos vestibulares e do Enem.
Arquivo Rede La Salle

Os diversos exames citados acima também estão no centro das ações do Colégio La Salle Águas Claras que oferece o Preparatório La Salle PAS e Enem, com aulas no contraturno com o Método Reciclagem Educacional, mas não deixando de lado as atividades que podem colocar seus alunos próximos do mercado profissional. Em seu programa curricular estão projetos como as FENAÇÕES, uma simulação da ONU que possibilita aos estudantes o desenvolvimento de habilidades de negociação, trabalho em equipe, protagonismo, criatividade e pesquisa.

Em harmonia com o conselho da pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB), Ione Menezes, de que é “preciso fugir da confusão daquilo que a pessoa gosta de fazer na sua vida como prazer para focar no que ela realmente tem talento e vocação”, toda a Rede Lassalista do Distrito Federal participa em junho da Feira de Profissões 2019 (em Águas Claras). O intuito desse programa é o de ajudar os jovens na hora de decidir qual a melhor carreira a ser seguida com a realização de oficinas e de painéis diversos, bem como a promoção de palestras sobre as opções de cursos superiores, ingresso em universidades nacionais e internacionais e vários outros temas correlatos.

Tudo isso realmente parece ajudar a trazer a realidade para perto dos alunos, como confirmam Bruna e Matheus, estudantes do Colégio La Salle Sobradinho que participam do Projeto Vida e das palestras do Escolhendo Carreiras. “Na escola, eu sempre fui incentivada a fazer aquilo que eu gosto, não somente aquilo que vai dar dinheiro, ou seja, um jeito diferente de olhar para o futuro”, conta a aluna. “Ouvir uma médica sobre como é a profissão de fato, o que ela fez para começar na carreira e o quanto foi difícil pra ela chegar onde está me ajudou a decidir sobre o que realmente quero fazer da vida”, arremata o estudante.

Em resumo, as escolas da Rede La Salle estão fazendo bem mais do que deixar o seu jeito de educar criativo e interessante, pois tudo tem um objetivo bem traçado, como explica a coordenadora pedagógica da unidade Sobradinho, Simone Ouriques: “A ideia é ajudar a diminuir o estresse e o cansaço dos estudantes para que eles se organizem de forma coerente com o tempo que têm disponível para cumprir todas as suas obrigações”. O mais interessante é que com isso os alunos se permitem a ter grandes sonhos, como a adolescente Kira que, entre as inúmeras opções de carreira cogitou estudar Matemática somente para tentar uma vaga na NASA, a agência espacial norte-americana. “Uma das coisas mais incríveis que o ser humano fez foi pisar na Lua e eu acho o espaço tão bonito”, diz encantada.
Arquivo Rede La Salle

Rede La Salle - Aqui eu sei que aprendo

Atuando no Distrito Federal desde 1962, a Rede La Salle está na vanguarda do processo educacional e tem como principal prioridade a educação de excelência que, dentro da Filosofia Lassalista, traz o bom relacionamento com as famílias buscando sempre manter uma comunicação transparente e próxima, atendendo da melhor forma possível às suas necessidades assim como às de seus estudantes.

O principal objetivo é oferecer uma educação completa e todo o amparo necessário para que crianças e jovens possam crescer, se desenvolver e se tornar cidadãos proativos, éticos e dispostos a fazer a diferença para melhorar suas comunidades e o planeta como um todo. Ciente da importância da formação humana e cristã, além de outras competências, procura estimular o uso de todos os recursos e atividades que permitam tratar os conteúdos de modo interdisciplinar e contextualizado.

Para conhecer melhor sobre os cursos preparatórios para Vestibular, PAS e Enem do La Salle Águas Claras e do La Salle Núcleo Bandeirante – que são abertos ao público externo – seguem os contatos abaixo, assim como os dos Colégios La Salle Brasília e La Salle Sobradinho para aqueles que tiverem interesse em conhecê-los melhor.

Colégio La Salle Águas Claras – Quadra 301, AE S/N / (61) 3435-5858 / lasalle.aguasclaras@lasalle.org.br
Colégio La Salle Brasília – SGAS, Quadra 906, Conjunto E / (61) 3443-7878 / lasalledf@lasalle.org.br
Colégio La Salle Núcleo Bandeirante – Av. Central, Área Especial 11 / (61) 3552-1494 / bandeirante@lasalle.edu.br
Colégio La Salle Sobradinho – Quadra 14, Área Especial Lotes 24 a 27 / (61) 3387-8840 / sobradinho@lasalle.org.br
Arquivo Rede La Salle