Publicidade

Correio Braziliense

Rede particular volta às aulas nesta segunda-feira

O fluxo de carros começa a aumentar esta semana, quando cerca de 180 mil estudantes retornam aos estudos. Já as escolas públicas retomam as atividades em 10 de fevereiro


postado em 27/01/2020 06:00

Maria Clara Menezes está animada para rever os amigos e tem incentivo da mãe, Adriana, para ser uma boa aluna (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Maria Clara Menezes está animada para rever os amigos e tem incentivo da mãe, Adriana, para ser uma boa aluna (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Passadas as comemorações de fim de ano e as férias, é tempo de os estudantes voltaram às salas de aula. Na rede particular, os alunos retornam aos colégios hoje. Há escolas que estão funcionando há mais tempo e outras que só encerrarão o recesso depois, mas o calendário recomendado pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) para as 557 unidades de ensino pagas estabelece o regresso das atividades hoje. O número de alunos matriculados vai ser estimado a partir de fevereiro, porém, no ano passado, o Sinepe-DF calculava que havia 180 mil estudantes e 12 mil professores na rede particular.

A partir desta semana, brasilienses devem perceber maior fluxo de carros e congestionamentos nas principais vias do Distrito Federal. A dica é sair de casa mais cedo para evitar problemas: ainda mais se estiver chovendo, é importante maneirar na velocidade e redobrar a cautela ao dirigir. Para alertar os motoristas sobre o aumento da circulação de veículos nas proximidades das escolas e conscientizar pais e responsáveis com relação ao respeito às leis de trânsito no embarque e desembarque dos alunos, a Diretoria de Educação de Trânsito do Departamento de Trânsito (Detran-DF) dá início à Campanha de Volta às Aulas 2020 (veja Cronograma das ações). A atividade é executada em entradas e saídas de colégios e também por meio de minipalestras nas salas de aula.

O estudante Romário Ribeiro de Souza, 10 anos, começa hoje a estudar num colégio particular em Samambaia Sul, onde cursará o 6° ano do ensino fundamental. O menino estava ansioso para o primeiro dia de aula. “Estou meio nervoso, mas espero que dê tudo certo”, deseja. Para os pais, as expectativas também são altas. “Acredito que ele vá se desenvolver bastante este ano, ele tem uma caminhada de sucesso”, afirma Marcos Costa de Souza, 44, pai do estudante. 

As aulas de Maria Clara Menezes, 13 anos, começam na primeira semana de fevereiro. A adolescente cursará o 9º ano na mesma instituição particular da Asa Sul onde estudou em 2019. Ela está animada para retomar os estudos e rever os amigos. “Estou com um pouco de medo, mas pretendo me destacar ainda mais este ano”, diz. Isso porque ela quer participar do processo seletivo do Colégio Militar de Brasília (CMB). “Pretendo fazer o ensino médio na instituição e, para isso, tenho que conseguir boas notas”, explica. A mãe, Adriana Menezes, 45, conta que Maria Clara sempre foi boa aluna e que, em 2020, não deve ser diferente. “Estou satisfeita com o desempenho dela. Ano passado, ela participou das Olimpíadas de Português e espero que este ano ganhe a premiação”, deseja.

Melissa e o pai, Ademir: a menina saiu da rede pública para se matricular numa escola particular este ano(foto: Arquivo pessoal)
Melissa e o pai, Ademir: a menina saiu da rede pública para se matricular numa escola particular este ano (foto: Arquivo pessoal)


A ansiedade por causa da mudança de escola pode ser difícil para alguns estudantes. É o caso da filha mais nova do empresário Ademir Gouveia Júnior, 41. Melissa Brandão, 7, saiu da rede pública de ensino e, este ano, estudará num colégio particular em Sobradinho. Ela cursará o 2º ano do ensino fundamental. Segundo Ademir, a mudança foi feita tendo em vista um sistema pedagógico mais solidificado em relação ao anterior. “Surgiu uma boa oportunidade de ela ir para uma escola que ofereça estrutura de aprendizado melhor. Não houve nenhum descontentamento com a escola pública”, esclarece.

Cronograma de ações


Veja operações do Detran-DF para a volta às aulas:

» 27/1, das 11h30 às 13h: área escolar próxima às quadras 906, 911 e 912 Sul
» 28/1, das 11h30 às 13h: área escolar próxima à 
Quadra 609 Sul
» 30/1, das 11h30 às 13h: área escolar da Rua 6 de Vicente Pires e área escolar da Fundação Bradesco, em Ceilândia


Três perguntas // Milena Fiuza, gerente pedagógica do Sistema Positivo de Ensino

Como ajudar os alunos em relação à ansiedade pela mudança de escola?

O que ajuda os estudantes, neste momento, é levá-los ao novo colégio para que conheçam o ambiente onde vão estudar. Grande parte da ansiedade gerada pelo fato de ir para uma nova escola vem do desconhecimento do local e das pessoas por parte dos alunos, o medo de não ser aceito e até da estrutura física do lugar. Levar os filhos para conhecerem o novo ambiente escolar alivia essa ansiedade e evita sustos.


Qual o valor do diálogo com os alunos?

É necessário que os pais expliquem para a criança ou o adolescente o porquê da mudança de escola. A instituição de ensino também pode ajudar o aluno com o período de transição, tomando conhecimento do método pedagógico da antiga escola do estudante e apresentando semelhanças com a 
metodologia do colégio.

Há dicas para adaptação ao ritmo pós-férias?

Os pais devem se atentar para começar o período de adaptação de volta às aulas com pelo menos uma semana de antecedência. É bom os responsáveis incentivarem mais a leitura neste período, arrumarem os materiais escolares junto aos filhos para que isso gere uma expectativa no estudante. Também é importante normalizar o ritmo de sono e alimentação que o aluno tem normalmente durante o período letivo. O bom desempenho escolar está associado não só ao conhecimento do conteúdo das matérias, mas ao preparo físico e emocional também.

Unidades da SEE-DF


Se o trânsito começa a se intensificar esta semana, a partir de 10 de fevereiro, os congestionamentos e o movimento no transporte público ficarão ainda maior, pois é nessa data que cerca de 460 mil alunos e 35 mil professores voltarão às aulas na rede pública de ensino. A Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEE-DF) ainda não tem dados finais de matrículas, mas, observando-se o Censo Escolar, o número de estudantes nas escolas públicas tem ficado praticamente estável por volta dessa quantidade há vários anos.

A SEE-DF informa que o total de matrículas de novos alunos está em 25 mil até o momento, no entanto, a rede ainda abrirá período de registro para vagas remanescentes entre 5 e 7 de fevereiro. Apesar de as aulas começarem apenas em 10 de fevereiro, Artur Silva, 10, já se organiza para voltar à Escola Classe 431 de Samambaia, onde ele estudou no ano passado. A mãe, Gilzenilda Silva, 43, diz que o filho está ansioso para conhecer os novos professores e a turma. “O Arthur passa por uma nova fase ao entrar para o 5º ano do ensino fundamental. Ele é um menino estudioso, a escola é boa e os professores, também. O difícil será voltar à rotina de ir para a aula”, afirma Gilzenilda.

Gabriela Gomes, 13, se prepara para iniciar o 9° ano do ensino fundamental do Centro de Ensino Fundamental 120 de Samambaia Sul. Para ela, também será um novo desafio. “Por ser o último ano do fundamental, tenho um pouco de medo, mas acho que estou pronta para entrar no ensino médio”, reflete a adolescente. O plano da aluna é se dedicar para entrar na Universidade de Brasília (UnB) pelo Programa de Avaliação Seriada (PAS). “Quero me preparar para pediatria ou alguma outra área da medicina”, conta. Apesar dos sonhos, Gabriela revela medos para 2020. “Gostaria de mais policiamento na entrada e na saída do colégio e maior fiscalização do que os alunos trazem e fazem nas dependências da escola”, deseja.

A partir deste ano, as instituições escolares devem se adaptar completamente às novas normas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incluindo a obrigatoriedade da educação financeira no currículo escolar. A integração desse tema às aulas vem para solucionar o problema crescente de endividamento e inadimplência dos brasileiros. Um benefício que se estende também às famílias dos estudantes: ensinamentos sobre a temática devem trazer uma mudança cultural em todo o ambiente, não apenas o escolar. O assunto chama a atenção de Gabriela, que está com alta expectativa para aprender sobre isso. “Não conheço muito sobre o tema, mas acho importante aprender a administrar o dinheiro de uma forma responsável”, comenta.


Saiba como participar


As vagas são disponibilizadas para crianças ou adolescentes sem matrícula em unidades escolares da rede pública de ensino. As oportunidades remanescentes surgiram da não efetivação da matrícula de estudantes contemplados no processo da Chamada Pública Obrigatória ocorrida em outubro de 2019. Veja o cronograma: 
- Resultado das vagas remanescentes: está previsto para ser divulgado em 4 de fevereiro, a partir das 18h, no site www.se.df.gov.br
- Efetivação das matrículas: será realizada entre 5 e 7 de fevereiro na escola em que o estudante foi contemplado com uma vaga. 

*Estagiárias sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Renapsi oferece 28 vagas de jovem aprendiz 17:51 - 29/03/2020 - Compartilhe

Renapsi oferece 28 vagas de jovem aprendiz

publicidade