Publicidade

Correio Braziliense

Pais de alunos do COC estão apreensivos com adiamento do início das aulas

As aulas no colégio deveriam ter começado em 5 de fevereiro, mas as obras no local não foram concluídas


postado em 11/02/2020 19:32

Pais de alunos do Colégio Coc, que vai funcionar a partir deste semestre na Quadra  101 do Sudoeste, estão preocupados com o início do ano letivo. A mantenedora de ensino garantiu que a construção da escola terminaria em 4 de fevereiro, e o início das aulas estava previsto para o dia 5. Mas o começo do ano letivo foi adiado para 11 deste mês. Prazo também não cumprido.
 
(foto: ailana Galvao/Esp. CB/D.A Press)
(foto: ailana Galvao/Esp. CB/D.A Press)
 
 
De acordo com alguns pais de estudantes, no último sábado (8), ocorreu uma reunião com familiares de alunos do período infantil. No entanto, ninguém foi autorizado a visitar as dependências da escola para ver o andamento das obras. Na última segunda-feira (10), haviam sido marcadas duas reuniões com os pais de estudantes do ensino fundamental e médio, às 17h30 e  às 19h30, respectivamente. Mas, por volta das 16h, o colégio enviou comunicado aos pais cancelando as duas reuniões.

Segundo uma mãe de duas alunas do colégio do 1º e 7º ano, que não quis ser identificada, depois do cancelamento das reuniões, alguns pais procuraram informações por meio do WhatsApp da secretaria da escola e presencialmente. O colégio enviou outro comunicado adiando, mais uma vez, o início do ano letivo. Agora, previsto para começar em 13 de fevereiro.

O comunicado informava: “Pensando em proporcionar maior conforto aos nossos estudantes, comunicamos que, para melhor organizarmos os espaços e promover a limpeza final, o início das aulas se dará em 13 de fevereiro”.

De acordo com outra  mãe, que também pediu para não ser identificada, foi criada uma comissão para fiscalizar o andamento da obra. Porém, o que foi relatado é que a escola não tem condições de receber os alunos na próxima quinta-feira (13). “Obviamente que esse canteiro de obras não pode receber, na quinta de manhã, ninguém. Nem os adolescentes, muito menos os pequenos”, afirma. Ela critica que falta clareza sobre o andamento da construção por parte da escola. “Eles têm faltado com a transparência e não conseguem admitir que a obra não ficará pronta tão cedo”, avalia. 

O que diz a escola 

A Assessoria de Imprensa do colégio particular do Sudoeste garante que as aulas vão começar em 13 de fevereiro. E que, em função do período de chuvas, as obras atrasaram. Em relação às aulas perdidas, a escola afirma que nenhum estudante será prejudicado e o conteúdo será dado normalmente, pois o calendário do colégio contava com dias letivos além do recomendado pela Secretaria de Educação do Distrito Federal. Ainda de acordo com a assessoria, as obras de estrutura do prédio da escola estarão finalizadas até 13 de fevereiro. 

Assessoria de Imprensa garantiu que os pais dos alunos foram amplamente informados e que o colégio está à disposição para responder todas as dúvidas. E ressaltou que a obra segue as normas de segurança e ocorre dentro do processo de legalidade.

Em 26 de Janeiro, o muro da escola desabou. Na ocasião, a Defesa Civil do DF alegou que o desabamento foi algo pontual e devido às fortes chuvas, que a estrutura da escola não apresentava danos, nem risco de desabamento. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Distrito Federal confirmou que a obra da escola possui alvará, concedido anteriormente ao início das obras.
 
*Estagiária sob supervisão da editora Ana Sá 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade