Publicidade

Correio Braziliense

MEC lança programa de alfabetização com investimento de R$ 220 mi

O programa Tempo de Aprender será implementado em todo o país e tem como foco alunos da pré-escola e dos 1º e 2º ano do Fundamental


postado em 18/02/2020 18:04 / atualizado em 18/02/2020 21:51

Programa é voltado para o aperfeiçoamento, apoio e a valorização de professores e gestores escolares do último ano da pré-escola e do 1º e 2º ano do ensino fundamental(foto: Reprodução/ Ministério da Educação )
Programa é voltado para o aperfeiçoamento, apoio e a valorização de professores e gestores escolares do último ano da pré-escola e do 1º e 2º ano do ensino fundamental (foto: Reprodução/ Ministério da Educação )
Com o objetivo de aprimorar a alfabetização no Brasil, o Ministério da Educação (MEC) anunciou investimento de R$ 220 milhões para o novo programa de governo Tempo de Aprender. O lançamento oficial ocorreu na tarde desta terça-feira (18/2), na sede do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

“A disposição atual não é nada boa no âmbito da alfabetização. De acordo com os dados, 55% dos alunos brasileiros do 3º ano do ensino fundamental tem insuficiência de leitura. Precisamos inverter esse quadro que acaba afetando toda a trajetória escolar”, justificou o Secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim.
 
Na cerimômia, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, elogiou o trabalho do secretário atacando a oposição. "Se acham que estou sendo duro com as palavras ao chamar o outro lado de preconceituoso não acreditem em mim. Acreditem no governo passado, que deu, à época, um prêmio de esquerda, o Darcy Ribeiro, ao melhor educador, Nadalim", alfinetou.
 
O projeto tem base na Política Nacional de Alfabetização (PNA) — firmada por meio de decreto presidencial em abril de 2019 — e dividido em quatro eixos: formação continuada a professores e gestores, apoio pedagógico, aprimoramento das avaliações e valorização dos profissionais. 

A maior parte do recurso, R$ 183 milhões, é destinado ao aporte financeiro da União às instituições de ensino por meio do programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). 

Outros R$ 20 mi irão para a implementação do Estudo Nacional de Fluência, voltado a fornecer ferramentas de diagnóstico de fluência em leitura oral para alunos do 2º ano do ensino fundamental. Eles são a faixa etária mais velha dentro do público alvo do Tempo para Aprender, que também é voltado para estudantes da pré-escola e do 1º ano do fundamental. 

A formação prática de gestores e professores terá aporte de R$ 4,5 milhões, além de outros R$ 6 milhões para promover intercâmbios da categoria. A previsão é de selecionar profissional ainda no primeiro semestre de 2020 para cursos de Alfabetização Baseada na Ciência na Universidade do Porto e no Instituto Politécnico do Porto.

Para a construção e alimentação de uma plataforma online disponibilizada aos professores, serão destinados R$ 200 mil. O recurso servirá como ferramenta para construção de planos de aula e deve atender mais de 300 mil profissionais. 

Para avaliar o impacto das ações do programa foram empenhados R$ 3 milhões. Valores ou formas de bonificações para atender o eixo de valorização dos professores, que prevê prêmios por desempenho, não foram detalhados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
Renapsi oferece 58 vagas de jovem aprendiz 17:02 - 05/04/2020 - Compartilhe

Renapsi oferece 58 vagas de jovem aprendiz

publicidade
publicidade
publicidade