Ensino_EducacaoBasica

Escola pública da zona rural de Planaltina se reinventa durante isolamento

Oferecendo aulas a distância e apostilas, equipe de docentes trabalha para manter ritmo de estudo dos alunos

Lorena Fraga*
postado em 16/04/2020 14:21
O Centro Educacional Taquara, escola pública localizada na zona rural de Planaltina (DF), está oferecendo aulas on-line e material para estudantes por conta própria. O objetivo da iniciativa é oferecer condições para que os mais de 800 alunos, desde a educação infantil até o Ensino de Jovens e Adultos (EJA) ensino fundamental e médio, tenham condições de manter os estudos durante o isolamento social.

Fachada da escola localizada na zona rural de PlanaltinaO diretor, Volemar Ornelas, conta que a ideia principal da equipe pedagógica é passar algo para os alunos dentro do que eles estão realmente estudando, assim quando as aulas retornarem, os estudantes não perdem a linha do conteúdo.

A organização da proposta foi realizada depois de uma reunião on-line com o grupo de professores e coordenadores, a equipe decidiu usar o blog da escola para postar aulas e atividades. Com conteúdos que vão do ensino fundamental ao médio, o blog atinge, em média, 400 visualizações por dia. ;No EJA, temos 125 alunos matriculados e, em um dia só conseguimos mais de 90 acessos no conteúdo direcionado a eles no blog;, conta Ornelas.

O professor responsável pelo laboratório de informática vai alimentando a página com os conteúdos enviados pelos educadores. Para as séries iniciais, que vão do 1; ao 5; ano do ensino fundamental, os professores elaboram apostilas, enviam para o e-mail da escola e elas são impressas e disponibilizadas para a retirada na escola.

Atividades desenvolvidas para a educação infantilOs alunos não precisam ir na escola para ter acesso ao material. ;Os pais comparecem na escola, sempre tem alguém da direção lá, estamos fazendo revezamento. Quando não tem ninguém, o vigilante está autorizado a entregar o material. Para evitar ao máximo o contato social;, diz o diretor.

Para atender uma turma de 18 alunos, a professora Juliane Pereira de Andrade, do 1; ano do ensino fundamental, ela elaborou apostilas com atividades básicas. ;Todo dia envio um livro em PDF para os pais lerem com os filhos;, disse.

A professora Juliane conta que todos os dias envia um livro em PDF para os pais lerem com os filhosA professora tem uma lista de transmissão com os pais, no whatsapp. É por lá que ela informa a disponibilidade da retirada de material na escola. ;Fiz uma apostila para, a princípio, duas semanas. Mas quando terminar essa, já tenho outras;.

Para desenvolver os exercícios que os estudantes realizam em casa, Juliane pensa não só nos alunos, como também nos pais. ;Tenho que levar em consideração as condições socioeconômicas dos pais. Alguns deles não concluíram sequer o 5;ano das séries iniciais. Então, é preciso levar em conta o que os pais podem oferecer de ajuda para os filhos;.

Apostilas prontas para retiradaE o trabalho tem recebido retorno. ;Ontem mesmo um pai me mandou mensagem agradecendo as atividades que estamos mandando e pela preocupação com os filhos;, alegra-se. Mas em casos como os pais que não possuírem whatsapp, a professora conta com o apoio da direção da instituição, para entregar a apostila para quem mora perto da escola.

Professora do 2° ano do ensino fundamental, Glenda diz que cada educador tem o seu método para realizar as atividades a distânciaGlenda Sales é professora do 2; ano do ensino fundamental. Com 21 alunos na turma, ela consegue contato com a maioria dos alunos. ;Cada professor desenvolve seu método de acordo com a turma, idade dos alunos e capacidade psicomotora;, declara.

O diretor da escola esclarece que, a princípio, as atividades não têm caráter de cunho avaliativo. Mas, quando retornarem as aulas, essas atividades serão analisadas. ;De imediato, o professor não vai lançar nota para os alunos porque não são 100% dos estudantes que vão conseguir ter acesso às atividades propostas. Mas, quando retornarem as aulas essas atividades serão consideradas. O professores vão disponibilizar o material para os alunos que não conseguiram fazer. Os que já realizaram as atividades durante o isolamento social serão avaliados;, diz.

Jane da Silva de Oliveira é mãe de Samara,18, aluna do 3; ano do ensino médio. Por ser maior de idade, o contato é feito diretamente entre Samara e os professores, ;Eu não entendo muito de internet, ela que entende. Ela assiste às aulas pelo blog e está indo bem;, conta Jane. Em ano de vestibular, a família não sabe ao certo o que vai acontecer com o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). "Nós nos preocupamos bastante, mas, mas, infelizmente, vamos ter que passar por isso. Então, é bom que os alunos mantenham a rotina de estudos".

Cacilda Alvez, mãe de Isabely Alves, 11, aluna do 6; ano do ensino fundamental, diz que gostou da proposta pois auxilia na elaboração das atividades que ela queria passar para a filha fazer em casa. ;O que os professores colocaram no grupo, eu achei bem interessante, eu posso dar uma ajuda para ela, conversar com os professores. Eles sempre estão prontos pra ajudar;.

A pequena Isabely conta que tem feito todas atividades e assistido as aulas quase todos os dias, mas que prefere as aulas presenciais. ;Porque eu posso tirar mais dúvidas;, explica. A saudade parece ser um fator comum, é o que conta a professora Juliane: ;Tenho alunos que me mandam áudio falando que estão com saudade, que querem voltar pra escola, mas faz parte, né? Eles sentem falta, nessa idade eles gostam bastante da escola;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação