Ensino_EducacaoBasica

Sinepe promove pesquisa entre pais e defende retorno gradativo a aulas

Em vídeo, Álvaro Domingues sugeriu que os estudantes possam optar por retomar as atividades presenciais ou recebê-las de maneira remota

Eu, Estudante
postado em 13/05/2020 21:55
 (foto: Antônio Cunha/CB/D.A. Press)
(foto: Antônio Cunha/CB/D.A. Press)
O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) está aplicando uma pesquisa a pais de alunos para coletar informações a fim de basear o planejamento do sindicato para o retorno às aulas, que ocorrerá após o Governo do Distrito Federal (GDF) anunciar essa retomada.
O resultado da pesquisa será enviado ao GDF. O questionário começou segunda-feira e já teve mais de 18 mil respostas. Interessados podem responder pelo link.
O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal, Álvaro Domingues, afirmou, em vídeo, que a entidade defende o retorno opcional às aulas, de forma que os alunos possam escolher entre as atividades presenciais ou remotas.
Em vídeo, Álvaro Domingues sugeriu que os estudantes possam optar por retomar as atividades presenciais ou recebê-las de maneira remota

Ele defendeu, também, o retorno gradativo, conforme protocolo aprovado pelas autoridades de saúde e de segurança.

;Por fim, queremos dizer que as escolas podem, realmente, ser um polo de difusão de uma cultura de profilaxia na sociedade. Elas estão preparadas para difundir uma cultura de maior segurança nas relações sociais;, disse.
[VIDEO1]

Aulas a distância


Com a Medida Provisória n; 934, as escolas não têm mais obrigação de cumprir 200 dias letivos. No entanto, precisam manter a carga horária mínima, que é de 800 horas para os ensinos fundamental e médio.

Reabertura das escolas

Ibaneis ainda avalia como será a retomada do ano letivo

Em entrevista coletiva na última quinta-feira (7/5), o governador Ibaneis Rocha afirmou que as escolas só devem reabrir em julho. Ainda em vigor, o Decreto n; 40.583, de 1; de abril, havia determinado a suspensão das aulas nas escolas públicas e particulares do Distrito Federal até 31 de maio.

O chefe do Executivo local explicou, na coletiva, que o adiamento do retorno não é uma decisão oficial e será avaliado, mas que ele espera que aconteça.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação