Ensino_EducacaoBasica

Coronavírus: Conselho de Educação dá recomendações às escolas

Texto dispõe sobre reorganização do calendário escolar, planejamento pedagógico das atividades não presenciais e preparação para volta às aulas

Eu, Estudante
postado em 21/05/2020 20:49
 (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O Conselho de Educação do Distrito Federal (CEDF) preparou um documento com orientações às escolas públicas e particulares do DF para minimizar os impactos da covid-19 na aprendizagem. O texto dispõe sobre a reorganização do calendário escolar, o planejamento pedagógico para o período sem aulas presenciais e a preparação das escolas para o retorno.
Conselho recomenda capacitar professores enquanto as aulas não volta presencialmente
Durante o período de isolamento social, o CEDF recomenda, entre outras medidas, que as instituições de ensino possibilitem a capacitação dos docentes para atuarem de forma remota e garantam o acesso dos professores às tecnologias digitais para construção das atividades pedagógicas não presenciais, sempre que a escola assim o exigir.

Além disso, o documento sugere que as instituições de ensino assegurem as competências e os objetivos de aprendizagem previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e nos currículos escolares ao longo do ano letivo de 2020.
[SAIBAMAIS]

Quanto à reorganização do calendário de atividades, o conselho recomenda que, a fim de cumprirem a carga horária mínima prevista por lei, as escolas utilizem sábados letivos, fins de semana e feriados (de acordo com a legislação vigente); reprogramem o recesso escolar, preferencialmente para o período de 10 a 18 de outubro de 2020 (exceto para a rede pública de ensino, em função da sua especificidade); e possibilitem o avanço do ano letivo de 2020 para o ano civil subsequente.

O documento também traz orientações para a readaptação às aulas presenciais. De acordo com o texto, as escolas devem acolher e reintegrar os professores, estudantes e famílias, ;como forma de superar os impactos psicológicos e de saúde ocasionados pelo longo período de isolamento social;; preparar as salas de aula para receber os estudantes, observando os cuidados sanitários necessários; e elaborar instruções específicas para a comunidade escolar, visando a divulgação de boas práticas sanitárias e de higiene.

Confira todas as recomendações aqui

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação