Publicidade

Correio Braziliense

SEE-DF: aulas a distância serão obrigatórias a partir de 29 de junho

O acesso à plataforma Google Sala de Aula será possibilitado por pacote de internet oferecido gratuitamente aos estudantes das escolas públicas


postado em 03/06/2020 19:29 / atualizado em 04/06/2020 19:06

Em live no canal @educadf no YouTube, o secretário de Educação do DF, João Pedro Ferraz, anunciou a retomada do ano letivo 2020 de forma não presencial. O ensino obrigatório a distância começará para valer em 29 de junho.
 
Até ser possível ter absoluta certeza da segurança de aulas presenciais, a educação será remota, anunciou GDF(foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF)
Até ser possível ter absoluta certeza da segurança de aulas presenciais, a educação será remota, anunciou GDF (foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF)
 
Antes disso, as aulas serão oferecidas sem medição de frequência. A partir de 29 de junho, professores e estudantes poderão acessar a plataforma Google Sala de Aula com pacote de internet oferecido gratuitamente. 
 
O cronograma se dára na seguinte ordem: 
  • 4 de junho - volta dos gestores 
  • 5 de junho - volta dos professores
  • 8 a 12 de junho  - semana de acolhimento e formação
  • 15 a 19 de junho - professores produzem o conteúdo para a plataforma
  • 22 a 26 de junho - estudantes voltam sem aferição da frequência 
  • 29 de junho  - começa o ano letivo do ensino mediado com aferição da frequência para todas as etapas
  • 29 de junho- professores e estudantes podem acessar a plataforma gratuitamente
Confira ao vivo live do secretário de Educação, que está no ar:
 
 

Secretaria dará alternativas via internet, TV ou papel 

“Estamos correndo para que o maior número possível de alunos tenha acesso. Se o estudante não tiver internet, entregaremos o conteúdo pela televisão. Se não tiver televisão, vamos tentar levar materiais de estudo até a casa dele”, afirmou o secretário.
 
“Estou esperançoso que a gente chegue ao fim do ano e diga que a secretaria não fez tudo, mas fez tudo aquilo que era preciso fazer em uma situação dessas.” Ferraz disse também que a SEE-DF estuda criar centrais para que os professores tenham acesso a computadores e à internet.
 

Organização

Ferraz reforçou que o plano foi feito em tempo recorde graças ao apoio dos professores e da equipe da secretaria.  Na live, o secretário explica também o trabalho da equipe técnica da secretaria para o retorno.
 
Será disponibilizado aos estudantes pacote gratuito de internet para quem acessar o Google Sala de Aula, previsto para começar com a retomada do ano letivo não presencial. 

Ao lado do coordenador do programa Escola em Casa DF, David Nogueira, o secretário anuncia o cronograma para volta dos gestores, dos professores. O público também pode descobrir como será a formação desses profissionais para atuar com o Google Sala de Aula e como será feita a produção dos conteúdos a serem ministrados aos estudantes.

Durante a live, foi publicado nas redes da Secretaria o calendário da volta às aulas mediada por tecnologia. As aulas presenciais só retornarão, por decisão do governador, quando ele tiver certeza de que a pandemia está sob controle e não oferece mais riscos à comunidade escolar.
 
Confira o cronograma da retomada(foto: SEE-DF/Reprodução)
Confira o cronograma da retomada (foto: SEE-DF/Reprodução)
 

Transmissão pela TV 

Para garantir o acesso de todos os alunos às aulas, o GDF está contratando quatro emissoras de televisaõ para transmitir as sessões. Haverá transmissões nos três turnos do dia.

Materiais em papel 

Os alunos que não tiverem nenhum equipamento para acompanhar as atividades deverão receber materiais em papel. Assessor especial da SEE-DF, David Nogueira anunciou na live que essa impressão e entrega em papel será combinada pelas coordenações regionais de ensino em contato com os diretores das escolas.
 
Por exemplo, um aluno morador do Paranoá que estude em colégio do Plano Piloto poderia buscar o material em localidade no próprio Paranoá, sem necessidade de se deslocar até o Plano Piloto. "O estudante é quem vai dizer se ele precisa do material impresso. Quem puder optar pela plataforma, o ideal é que opte pela plataforma", avisou David Nogueira.
 
 
*Estagiária sob supevisão da subeditora Ana Paula Lisboa 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade