Publicidade

Correio Braziliense

Universidades e institutos federais fizeram 1.665 ações contra covid

No Distrito Federal, a UnB e o IFB implementaram 18 atividades de combate ao novo coronavírus segundo sistema interativo do Ministério da Educação


postado em 07/07/2020 20:52 / atualizado em 07/07/2020 22:54

Durante reunião técnica organizada pela Câmara dos Deputados por meio de videoconferência para debater a retomada das atividades escolares, representantes do Ministério da Educação (MEC) detalharam ações da pasta na pandemia.
 
(foto: MEC/Reprodução)
(foto: MEC/Reprodução)
 

Tomás Sant Ana, secretário-adjunto da Secretaria de Educação Superior (Sesu/MEC), destacou o lançamento do protocolo de biossegurança para a retomada das atividades em instituições federais, as diversas iniciativas por parte de universidades e institutos federais no enfrentamento à covid-19, além da liberação de verbas e esforços para aumentar a conectividade dos alunos.
  
A pasta liberou R$ 200 milhões para apoiar institutos e universidades federais em ações de combate ao coronavírus. Para monitorar o que institutos e universidades estão fazendo e com estão funcionando, o MEC lançou um site de acompanhamento.
 
No momento, o sistema mostra que, das 69 universidades federais, 53 estão com atividades suspensas; seis estão com atividades retomadas parcialmente de modo remoto; e 10 retomaram atividades totalmente.
 
O site também contabiliza 1.665 ações de enfrentamento à covid-19 implementados por institutos e universidades federais, beneficiando 26,9 milhões de pessoas. No Distrito Federal, a Universiade de Brasília (UnB) e o Instituto Federal de Brasília (IFB) implementaram 18 atividades de combate ao novo coronavírus segundo sistema interativo do Ministério da Educação.
 
As ações incluem capacitação de profissionais, distribuição de alimentos, fabricação de máscaras com impressora 3D, produção de ácool em gel, entre outras. 
 

Conectividade para alunos pobres


Para ajudar estudantes de universidades e institutos federias em situação de vulnerabilidade socioeconômica a acessarem a internet, o MEC estabeleceu parceria com a Rede Nacional de Pesquisa (RNP) que providenciará planos de conectividade.
 
Tomás Sant Ana anunciou que o MEC deve ser lançado nesta quarta-feira (8/7) chamamento púbico para empresas de internet interessadas em oferecer o serviço.

“Nossa meta é atingir 900 mil alunos. A perspectiva é que pelo menos 700 mil alunos sejam contemplados até o fim de julho”, afirmou Tomás. O MEC identificou um total de 906 mil estudantes de ferais em situação de vulnerabilidade econômica, que incluem pessoas com renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo.
 
Desse total, 400 mil têm renda individual de 0 a meio salário mínimo; 300 mil, de meio a um salário mínimo; e 200 mil, entre um e 1,5 salário mínimo.
 
Como exemplo de adaptação em meio à crise, ele citou a Universidade Federal do Magro Grosso do Sul (UFMS), que conseguiu retomar as atividades teóricas quase que imediatamente após o isolamento de modo remoto. Para a parte prática, a universidade providenciou a ida do estudante com uso de EPI (equipamento de proteção individual) e transporte.
 
Confira, na íntegra, reunião técnica da Câmara dos Deputados: 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade

MAIS NOTÍCIAS

publicidade
publicidade
Renapsi oferece 48 vagas de jovem aprendiz 18:03 - 02/08/2020 - Compartilhe

Renapsi oferece 48 vagas de jovem aprendiz

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade