Ensino_EducacaoBasica

Sinepe recorre de decisão que adiou volta às aulas no DF

Segundo o sindicato, a intenção é auxiliar famílias que precisam das escolas para cuidarem de crianças e adolescentes

Samara Schwingel
postado em 28/07/2020 08:55
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Alunos da rede particular voltariam às aulas nesta segunda-feira (27)O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe) recorreu da decisão judicial que adiou o retorno das aulas presenciais por 10 dias. O sindicato pediu reconsideração da sentença na noite de segunda-feira (27).

A entidade impetrou uma ação civil pública no Tribunal Regional do Trabalho da 10; Região (TRT-10). O pedido foi resultado de uma reunião da diretoria do sindicato feita nesta segunda-feira.

O presidente do sindicato, Álvaro Domingues, informou ao Correio que considera importante realizar o retorno das aulas presenciais o quanto antes. "Estamos pensando em todas as escolas que estão se planejando para a retomada das atividades há meses e também nas famílias que não puderam trabalhar em casa e precisam do apoio escolar para cuidar das crianças e adolescentes", explica.

Álvaro ressalta que a retomada será opcional e gradual. "Pretendemos trabalhar com ensino híbrido, tanto à distância quanto presencial. A ideia é apoiar quem precisa, sempre com segurança."

Decisão judicial

A rede particular de ensino voltaria a ter aulas presenciais nesta segunda-feira (27). Porém, no sábado (25/7), o juiz Gustavo Carvalho Chehab dp TRT-10 atendeu, parcialmente, um pedido feito pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), na sexta-feira (24/7), para suspender o retorno das atividades escolares na rede particular no DF.

Na ocasião, o GDF optou por não recorrer e informou que irá cumprir a decisão. A movimentação gerou controvérsias entre pais, professores e representantes das escolas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação