Projeto social com jovens do DF vence o Prêmio Itaú-Unicef

Com a primeira colocação, o Ondas Pela Paz, da Unidade de Internação de Santa Maria (UISM), recebe R$ 400 mil e renova sonho de jovens na reabilitação. Projeto usa o rap como forma de ressocialização de jovens infratores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/11/2018 22:46 / atualizado em 29/11/2018 11:19

O primeiro lugar da 13ª edição do Prêmio Itaú-Unicef na categoria Parceria em Ação é do projeto Ondas Pela Paz, da Unidade de Internação de Santa Maria (UISM). A premiação ocorreu na noite desta terça-feira (27) no auditório do Parque Ibirapuera, em São Paulo, e contou com a presença de mais de 800 pessoas. A categoria Parceria em Ação reconhece parcerias entre organizações da sociedade civil (OSCs) e escolas públicas. Ao todo, mais de 3.500 projetos estavam inscritos no prêmio. 
 
O Ondas Pela Paz promove a cultura e a educação e, por consequência, motiva os 174 jovens de 12 a 21 anos que vivem  na unidade. O local abriga 150 meninos e 24 meninas que se engajam na composição de canções. Os raps produzidos por eles narram temas ligados aos direitos humanos, diversidade, sustentabilidade e cidadania. O projeto é desenvolvido, desde 2015, pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) e pelo Coletivo Rap - Ressocialização, Autonomia e Protagonismo.

"Esse prêmio vai para todos os internos do Brasil. Quero dedicá-lo a todos que estão privados da liberdade, que são intitulados como 'garotos-problema'. Muitos deles são rotulados como violentos, mas, às vezes, eles são violentados desde a infância. Temos o desafio de tornar o ambiente escolar acolhedor e é isso que fazemos", disse o professor de história Francisco Celso, coordenador do projeto.
 
Educação é a base de tudo
 
Emocionado com a premiação, um dos internos da UISM, Marcos Alves*, 17 anos, diz ser grato por ter representado a unidade. "Isso me motiva a continuar com o rap. Quero sair da pena socioeducativa e ministrar palestras. Mostrar que a medida socioeducativa funciona", orgulha-se.

O diretor da Unidade de Internação, Antônio Raimundo dos Santos, diz que o prêmio serve como uma responsabilidade a mais, que os impulsiona a dar continuidade aos projetos culturais. "Vamos continuar trabalhando e nos esforçando ao máximo. Conseguimos provar que a educação é a base de tudo."

"Nós trabalhamos com adolescentes negligenciados desde que nasceram e acreditamos que é possível, porque aprendemos com eles toda a solidariedade", argumentou a diretora do Inesc, Márcia Acioli.

Com a premiação de R$ 400 mil, o projeto pretende investir na compra de telões e material de discoteca. Como quaisquer outros adolescentes cumprindo penas socioeducativas, os jovens da Uism precisam ter acesso a atividades culturais, sociais e de lazer.
 
Divulgação/Itaú
 

 
Confira o quadro com a classificação dos vencedores da 13° edição do Prêmio Itaú-Unicef

 



Vencedores da Categoria 01 - OSC em Ação:

Classificação

Nome do projeto

OSC

Cidade / Estado

Essa ciranda é de todos nós: pela defesa do direito à proteção de crianças e adolescentes

Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará - CEDECA

Fortaleza/CE

Projeto Turma que faz

Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge

Alto Paraíso de Goiás/GO

Meninas e meninos de ouro

Casa do Rio

Careiro/AM

Refúgio - Construindo um mundo melhor

Refúgio

Cambé/PR

 

Vencedores da Categoria 02 - Parceria em Ação:

Classificação

Nome da ação parceira

OSC

Escola

Cidade / Estado

Onda pela paz

Instituto de Estudos Socioeconômicos

Escola da Unidade de Internação de Santa Maria / CED 310 de Santa Maria

Brasília/DF

Cidadania Rimada no Cordel da Educação

Conselho de Pais de Campos Sales

Escola de Ensino Infantil e Fundamental José Augusto Sobrinho

Campos Sales/CE

 


 

Prêmio Itaú-Unicef

A iniciativa tem por objetivo identificar, estimular e dar visibilidade a projetos promovidos por Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e escolas públicas que contribuem para garantir o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens brasileiros em situação de vulnerabilidade social. Os valores distribuídos são monitorados junto ao desenvolvimento dos projetos.

Segundo a superintendente do Itaú Social, Ângela Dannemman, o prêmio contribui na convicção de que a educação de qualidade para todos é uma premissa básica para todo o país. "A educação é um direito que tem que ser garantido. A garantia desse direito vai determinar o desenvolvimento do Brasil”, explica.
 

* Nome fictício em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)

** Repórter viajou a convite do Itaú Social 

*** Estagiária sob supervisão de Anderson Costolli