EDUCAÇÃO »

Liminares garantem vagas para 25 alunos

Cespe divulga novo edital para a Escola Superior de Ciências da Saúde. Estudantes que tiveram as notas da prova de redação trocadas vão continuar no curso por decisão judicial

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/04/2014 10:29 / atualizado em 17/04/2014 13:48

Breno Fortes

Estão confirmadas as matrículas dos estudantes que tiveram as notas da prova de redação trocadas no vestibular 2014 da Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs). Na segunda-feira, a instituição divulgou novo edital de convocação dos aprovados — o terceiro em dois meses —, em que constam os nomes dos candidatos que recorreram da cassação das vagas nos cursos de medicina e enfermagem (leia Entenda o caso). Na próxima semana, o registro na faculdade será homologado, depois de muito desgaste e disputa judicial. Vinte e cinco alunos, de um total de 58, recorreram a liminares e asseguraram o direito de cursar a graduação.



Há 15 dias, todos os que tiveram deferimento favorável da Justiça pela manutenção da aprovação receberam um comunicado, via telegrama, da Escs. No documento, a faculdade afirmava o cumprimento da determinação judicial até que o processo seja julgado, o que pode demorar anos. Assim, foram concedidas apenas as liminares individuais. A ação coletiva aberta por 33 estudantes foi retirada pela Defensoria Pública, uma vez que a iniciativa descaracterizava a natureza do pedido. Durante o imbróglio, as aulas do primeiro semestre de ambos os cursos foram suspensas.

Ainda que tenha garantido o direito de estudar na Escs, Naiana Magalhães Coelho, 28 anos, considera que o desgaste fez com que o sonho de ingressar na faculdade perdesse um pouco do brilho. “Estou esperando as aulas começarem para ver se o encanto volta”, lamenta, sem esconder o cansaço. Para ela, o esforço foi significativo. “Queria que as coisas se resolvessem administrativamente, sem que tivéssemos que recorrer à Justiça. Agora, estou mais calma.”

Depois de toda a confusão, o aprovado em medicina Eduardo Sales, 20 anos, pretende superar os maus momentos e seguir a carreira do pai, dos tios e dos primos. “Quero cursar a faculdade e seguir os passos da minha família. Fiquei desestimulado no início”, garante. Para ele, o entendimento judicial foi acertado. “Alguém tem que arcar com o erro, mas não é justo que os alunos paguem por ele.” O Cespe informou que uma sindicância investigará a responsabilidade pelo problema de mascaramento da identidade dos candidatos.

Entenda o caso

Relação errada


Um erro no sistema do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) relacionou incorretamente o nome dos candidatos ao vestibular 2014 para medicina e enfermagem da Escs. Uma lista de 160 aprovados no concurso foi divulgada em 11 de fevereiro. Um mês depois, verificou-se a falha na correção, e os resultados foram revistos. As 58 pessoas que foram substituídas, em 20 de março, recorreram ao Judiciário.